"HALL OF FAME" - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO GERAL AQUI:

NÃO SOU CADASTRADO                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO
usuario: senha:

OBJETIVA: (377550 votos)..........88.31% das questões objetivas receberam votos.
Um homem de 55 anos com hepatite crônica pelo vírus C está em avaliação para transplante hepático. O paciente tem cirrose documentada em biópsia há 10 anos atrás. Nos últimos 3 meses, tem apresentado ascite e edema periférico, parcamente controlado com diuréticos. Lactulose foi inciada recentemente devido a confusão mental. Qual das seguintes combinações de estudos laboratoriais seria mais útil em estimar a sobrevida nos próximos 6 meses?
A. Bilirrubina total e INR
B. AST e gamaglobulinas
C. ALT e RNA-HCV
D. FA e amónia
E. Albumina sérica e e gama-GT

  RATING: 2.93

Um homem de 55 anos com hepatite crônica pelo vírus C está em avaliação para transplante hepático. O paciente tem cirrose documentada em biópsia há 10 anos atrás. Nos últimos 3 meses, tem apresentado ascite e edema periférico, parcamente controlado com diuréticos. Lactulose foi inciada recentemente devido a confusão mental. Qual das seguintes combinações de estudos laboratoriais seria mais útil em estimar a sobrevida nos próximos 6 meses?

A. Bilirrubina total e INR
CORRETO: Em fevereiro de 2002, a Rede Unificada para transplante de órgãos nos EUA adotou o modelo para doença hepática terminal - MELD score - para priorizar pacientes com doença hepática crônica para transplante de fígado. Este score foi capaz de prover informação prognóstica de sobrevivência a curto prazo para pacientes com doença hepática de diferentes etiologias. O MELD score é definido por uma fórmula que inclui o INR, creatinina sérica e bilirrubina total. A classificação de Child é utilizada também para medir severidade da cirrose e também se utiliza INR e bilirrubina total.
B. AST e gamaglobulinas
INCORRETO : veja a resposta da alternativa A
C. ALT e RNA-HCV
INCORRETO : RNA-CV não apresenta nenhum benefício já que sabemos que o paciente é portador do virus da hepatite C
D. FA e amónia
INCORRETO : veja a resposta da alternativa A
E. Albumina sérica e e gama-GT
INCORRETO : veja a resposta da alternativa A

Gabarito:  A

AVALIE ESSA QUESTÃO: (2.93)
DISCURSIVA: (86883 votos) ..........98.25% das questões discursivas receberam votos.
Cite as alterações de cinco dos principais parâmetros clínicos ou laboratoriais que classificam uma pré-eclâmpsia como grave. (Valor: 5,0 pontos)

RATING: 3.63

Cite as alterações de cinco dos principais parâmetros clínicos ou laboratoriais que classificam uma pré-eclâmpsia como grave. (Valor: 5,0 pontos)

São apresentados abaixo os principais parâmetros que classificam uma pré-eclâmpsia como grave, dos quais o candidato deverá citar cinco (0,1 pontos cada um)
- Pressão arterial igual ou maior que 160/110 Hg
- Proteinúria igual ou maior que 2 gramas em 24 horas. (Aceita-se 5g/24h)
- Creatinina sérica acima de 1,2 mg/dL
- Plaquetas abaixo de 100.000/mm
- Enzimas hepáticas elevadas ou TGO e TGP elevadas
- Presença de CIUR
- Cefaleia persistente
- Distúrbios visuais
- Oligúria

FONTE:
PROVA DE REVALIDAÇÃO U. F. M. T. 2011

AVALIE ESSA QUESTÃO: (3.63)

CASO CLINICO: (91554 votos)..........100% dos casos clinicos receberam votos.

Uma criança de 10 anos de idade chega ao seu consultório para um exame físico escolar de rotina. Na revisão dos sistemas, a criança tem-se queixado de fadiga, porém está indo bem na escola. A criança não está tomando medicação e está saudável. Há um histórico de problema tireoidiano na avó materna e tia paterna. No exame físico, você nota que a criança possui um bócio sem nódulos palpáveis

1) Quais são os testes laboratoriais que você solicitaria primeiro? (0,125 p)

2) A glândula tireóide é macia à palpação, e a criança relata que ele/ela teve uma infecção do trato respiratório superior nos últimos dias. Qual condição estaria no topo de seu diagnóstico diferencial? (0,125 p)

3) Qual seria o diagnóstico mais provável se o nível de T4 total fosse 4,5 mU/L (normal: 5-11,5 mU/L) e o de T4 livre 3mU/L (normal: 6,0-10,5 mU/L)? (0,125 p)

4) No caso assinalado na questão 3, qual a provável concentração de TSH para essa criança (normal: TSH 0,4-6,4 mU/L)? (0,125 p)




RATING: 2.97

1) Quais são os testes laboratoriais que você solicitaria primeiro?

T4 total, indice de T4 livre, TSH e anticorpos tireoidianos.

  • A T4 total sérica é o principal hormônio tireoidiano no sangue, e testes laboratoriais medem as frações ligadas e não ligadas da T4. Pelo fato de grande parte da T4 estar ligada à globulina ligadora de tiroxina (TBG), transtiretina ou albumina, os níveis das proteínas de ligação afetam a concentração de T4 total. Portanto, os níveis dos hormônios tireoidianos livre e total podem não corresponder.
  • O índice de tiroxina livre é um cálculo que reflete a biodisponibilidade do hormônio tireoidiano, pois leva em consideração a quantidade de proteína de ligação.
  • O TSH é secretado pela hipófise sob o controle do hormônio liberador de tireotrofina (TRH) secretado pelo hipotálamo e, através do feedback negativo, dos hormônios tireoidianos.
  • Vários anticorpos contra os antígenos tireoidianos foram demonstrados na tireoidite autoimune crônica, e estes níveis devem ser determinados em uma criança com bócio.(0,125 p)

2) A glândula tireóide é macia à palpação, e a criança relata que ele/ela teve uma infecção do trato respiratório superior nos últimos dias. Qual condição estaria no topo de seu diagnóstico diferencial?

Tireoidite subaguda. A tireoidite subaguda é uma inflamação autolimitante da glândula tireóide, a qual geralmente ocorre em associação a uma infecção do trato respiratório superior. A glândula tireóide pode ser muito macia à palpação. Frequentemente, há um padrão de hipertireoidismo secundário à liberação inapropriada do hormônio tireoidiano. Sinais e sintomas do hipertireoidismo podem persistir por 1-4 semanas, após o qual há geralmente o desenvolvimento de hipotireoidismo transitório com restauração da glândula. O ciclo total da enfermidade pode durar de 2 a 9 meses. O tratamento é normalmente com drogas anti-inflamatórias. (0,125 p)

3) Qual seria o diagnóstico mais provável se o nível de T4 total fosse 4,5 mU/L (normal: 5-11,5mU/L) e o de indice de T4 livre 3mU/L (normal: 6,0-10,5 mU/L)?

Tireoidite de Hashimoto. A anomalia mais comum da função da tireóide em crianças é o hipotireoidismo, geralmente causado pela tireoidite autoimune (Hashimoto). A tireoidite de Hashimoto é caracterizada por anticorpos antitireoidianos circulantes e graus variados de disfunção tireoidiana. Pode-se manifestar com ou sem bócio. É mais prevalente em meninas, e muitos pacientes possuem um histórico familiar de doença tireoidiana autoimune. A remissão espontânea foi relatada. Outras causas de hipotireoidismo adquirido incluem disgenesia tireoidiana de início tardio ou disormonogênese, deficiência de TSH, lesão da tireóide e deficiência de iodo. Reposição de T4 é o tratamento de escolha para hipotireoidismo. (0,125 p)

4) No caso assinalado na questão 3, qual a provável concentração de TSH para essa criança (normal: TSH 0,4-6,4 mU/L)

A resposta é 15 mU/L. O TSH estará elevado no tireoidismo secundário à tireoidite de Hashimoto. (0,125 p)

AVALIE ESSE CASO CLINICO: (2.97)

 

1231 USUARIOS INSCRITOS

243 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

721 RECADOS DOS VISITANTES

NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
7323 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1740 DE CLINICA, 3413 DE PEDIATRIA, 1300 DE CIRURGIA, 232 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 387 DE SAUDE PUBLICA
114 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 140 CASOS CLINICOS

Todos os direitos reservados. 2020.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.