"HALL OF FAME" - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO GERAL AQUI:

NÃO SOU CADASTRADO                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO
usuario: senha:

OBJETIVA: (377809 votos)..........88.34% das questões objetivas receberam votos.
Escolar, 11 anos, sexo masculino, apresenta cefaleia frequente nos últimos três meses, média de oito vezes ao mês, de intensidade mediana, que em geral não interrompe as atividades habituais, de localização occipital, não latejante e sem ser acompanhada de outros sintomas. Refere não haver melhora com o sono. Mãe percebe que há agravamento da dor nos dias de testes no colégio. Em relação à principal hipótese diagnóstica, a base do tratamento é:
A. restringir o consumo de sal e prescrever propranolol
B. empregar técnicas de relaxamento e prescrever ibuprofeno
C. eliminar os fatores desencadeantes e prescrever ácido acetilsalicílico
D. retirar os corantes da alimentação e prescrever sumatriptano intranasal
E. uso de carbamazepina 200 mg ao deitar e controle oftalmologico

  RATING: 2.97

Escolar, 11 anos, sexo masculino, apresenta cefaleia frequente nos últimos três meses, média de oito vezes ao mês, de intensidade mediana, que em geral não interrompe as atividades habituais, de localização occipital, não latejante e sem ser acompanhada de outros sintomas. Refere não haver melhora com o sono. Mãe percebe que há agravamento da dor nos dias de testes no colégio. Em relação à principal hipótese diagnóstica, a base do tratamento é:

A. restringir o consumo de sal e prescrever propranolol
INCORRETO: veja a resposta da alternativa C
B. empregar técnicas de relaxamento e prescrever ibuprofeno
INCORRETO : 97% dos candidatos da prova TEP marcou essa alternativa como correta e se queimou - eu também na hora de estudar
C. eliminar os fatores desencadeantes e prescrever ácido acetilsalicílico
CORRETO : Trata-se de um menino de 11 anos que apresenta cefaleia com características tensionais: intensidade mediana, que em geral não interrompe as atividades habituais, occipital, não latejante e sem outros sintomas concomitantes como náuseas, vômitos, fotofobia ou fonofobia. A referência ao fator desencadeante (testes escolares) remete ao fato comum do agravamento em períodos de grande tensão. Não aliviar com o sono é uma característica importante para diferenciar a cefaleia tensional da migrânea. O tratamento é baseado na eliminação dos fatores estressores, uso de técnicas de relaxamento e analgésicos (paracetamol e o ácido acetilsalicílico). Se houver indicação para profilaxia, usar amitriptilina e o valproato.
D. retirar os corantes da alimentação e prescrever sumatriptano intranasal
INCORRETO : veja a resposta da alternativa C
E. uso de carbamazepina 200 mg ao deitar e controle oftalmologico
INCORRETO : veja a resposta da alternativa C

Gabarito:  C

AVALIE ESSA QUESTÃO: (2.97)
DISCURSIVA: (86922 votos) ..........98.25% das questões discursivas receberam votos.
1) Classifique o abdomen agudo pelo mecanismo etiológico.(0,25 pontos)
2) Enumeram 5 causas de abdomen agudo obstrutivo.(0,25 pontos)


RATING: 3.13

1) Classifique o abdomen agudo pelo mecanismo etiológico.(0,25 pontos)
2) Enumeram 5 causas de abdomen agudo obstrutivo.(0,25 pontos)

1) Classifique o abdomen agudo pelo mecanismo etiológico.
• Perfurativo (0,05 p)
• Infamatório (0,05 p)
• Obstrutivo (0,05 p)
• Hemorrágico (0,05 p)
• Vascular (Isquêmico) (0,05 p)
2) Enumeram 5 causas de abdomen agudo obstrutivo.
Causas:
(0,05 p cada uma, qualquer seja a combinação) - hérnia estrangulada
- fecaloma
- obstrução pilórica
- volvo
- intussuscepção
- divertículo de Meckel
- corpo estranho
- neoplasia
- doença de Crohn
- íleo paralítco
- bolo de áscaris
- aderências intestinais

FONTE:
ABDOMEN AGUDO: • Caio Augusto Bianchini D´Emilio • Fábio dos Santos Barbosa • Higor Kassouf Mantovani • Hugo Tadeu Metdieri • Luiz Felipe Franco Teodoro • Stefano Bacco Amade • Vitor Pozzi Loverso ACCESSÍVEL ONLINE

AVALIE ESSA QUESTÃO: (3.13)

CASO CLINICO: (91595 votos)..........100% dos casos clinicos receberam votos.
Homem de 31 anos com antecedente de ser infectado pelo HlV chegou a fazer tratamento anti-retroviral, que descontinuou por estar assintomático há cerca de 1 ano. sem seguimento ambulatorial, veio ao pronto-socorro com história de 3 semanas de tosse seca e dispneia progressiva, apresentando febre nos últimos 4 dias de até 38,5 graus.
Interrogatório sobre os demais aparelhos: Refere estar apresentando perda de peso (5 Kg nos últimos 6 meses) e abatimento progressivo, desânimo, insônia e cansaço intenso.
Exame Físico: BEG (descorado+/++++, hidratado, anictérico, acianótico), PA:128/84 mmHg, FC:90 b.p.m, FR:29 i.r.m., Saturação O ao ar ambiente visto por oximetria: 93%, Ap. Resp.: MV+.sem RA; CV: 2BRNF, sem sopros Abdome plano, flácido, RHA+, sem visceromegalias e massas palpáveis MMII: Pulsos positivos, sem edema de extremidades.
Foi realizada uma radiografia de Tórax, que você pode ver á seguir:

1) Quais são as duas hipóteses diagnósticas acíma? - 0,25 pontos
2) Qual é o exame que poderia CONFIRMAR o diagnóstico deste paciente?- 0,125 pontos
3) Qual é o tratamento de primeira linha deste paciente se o exame da questão 2 confirma o diagnóstico?- 0,125 pontos


RATING: 3.17

1) Quais são as duas hipóteses diagnósticas acima?
Pneumonia Pneumocócica (0.125 p) e Pneumocistose (0.125 p).
Discussão: Paciente HIV+ apresentando quadro respiratório de 3 semanas de duração.apresentando certo desconforto respiratório evidenciado por freqüência respiratória de 29 i.r.m sugerindo quadro pulmonar infeccioso. As duas condições pulmonares mais freqüentes nestes pacientes, sâo a pneumonia pneumocócica que ocorre com 5 vezes maior freqüência nestes pacientes e é associado com bacteremia em número muito grande de casos.sendo a mais freqüente etiologia de quadros pulmonares em pacientes HIV positivos.
A Pneumocistose é o quadro pulmonar mais freqüente em pacientes HIV com CD4 menor 200/ul evoluindo com sintomas inespecíficos e progressivos podendo apresentar hipoxemia importante associado.
O quadro clinico de mais de 3 semanas de apresentação com radiografia de tórax apresentando aparentemente um infiltrado intersticial difuso sugere o diagnóstico de Pneumocistose.
2) Qual é o exame que poderia CONFIRMAR o diagnóstico deste paciente?
Lavado bronco-alveolar. (0.125 p)
Discussão: A pesquisa de pneumocystis no escarro pode realizar o diagnóstico em cerca de 50-80% dos casos.em casos negativos pode-se realizar o lavado bronco alveolar que faz o diagnóstico em mais de 95% dos casos. O lavado bronco alveolar serve também para o diagnóstico de outros quadros infecciosos pulmonares, assim como de outras condições não infecciosas como hemorragia alveolar apresenta alta sensibilidade para diagnóstico de pneumonia sendo quase excludente de etiologia infecciosa em quadros pulmonares quando as pesquisas são negativas. 3) Qual é o tratamento de primeira linha deste paciente se o exame da questão 2 confirmar o diagnóstico?
Tratamento da pneumocystose com sulfametoxazol-trimetoprim sendo que este paciente apresentas indicação do uso de corticoides. (0.125 p)
Discussão: O paciente apresenta pneumocistose sendo a droga de primeira escolha para o tratamento o sulfametoxazol-trimetoprim(15-20 mg/Kg ao dia divididos em 3-4 doses) por 21 dias.
No início do tratamento pode piorar o quadro respiratório devido ao processo inflamatório causado pelo tratamento da pneumocistose, sendo indicado corticoterapia.para diminuir este processo inflamatório.

AVALIE ESSE CASO CLINICO: (3.17)

 

1238 USUARIOS INSCRITOS

250 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

721 RECADOS DOS VISITANTES

NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
7323 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1740 DE CLINICA, 3413 DE PEDIATRIA, 1300 DE CIRURGIA, 232 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 387 DE SAUDE PUBLICA
114 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 140 CASOS CLINICOS

Todos os direitos reservados. 2020.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.