"HALL OF FAME" - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO GERAL AQUI:

NÃO SOU CADASTRADO                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO
usuario: senha:

OBJETIVA: (377549 votos)..........88.31% das questões objetivas receberam votos.
Considera o caso de um homeless e 38 anos de idade trazido por ambulância ao serviço de emergência com ataque isquêmico transitório. Na entrada apresenta desvio facial e fraqueza do braço esquerdo de 20 minutos de duração e dor no quadrante superior esquerdo.
Nas últimas duas semanas apresentou febre subjetiva intermitente, diaforese é calafrios. Nega contato com animais ou viagem recente, assim como nega uso de algum antibiótico. A imagem não é entre as melhores, além da aparência desgrenhada, dentição precária, e o exame físico revela um homem em leve sofrimento. Como sinais vitais,tem febre de 38,2º C, frequência cardíaca de 90 bpm e à pressão arterial de 127/74 mmHg. A ausculta cardíaca com estetoscópio comum revela sopro diastólico precoce no terceiro espaço intercostal esquerdo. Abdominal, apresenta baço hipersensível, a 2 cm abaixo do rebordo costal. No dedo médio da mão direita e no dedo anular da mão esquerda há nódulos vermelhos dolorosos e hipersensíveis, de aparecimento recente. e piolhos do corpo e lêndeas são achados nas roupas.
São solicitados exames de rotina e a contagem de leucócitos é de 14.500/μL, com 5% de bastões e 93% de células polimorfonucleares. É instituído tratamento empírico com vancomicina. As culturas permanecem negativas depois de cinco dias, apesar do paciente continuar febril.
Hemodinamicamente, o mesmo se apresenta estável. No terceiro dia de internação, aparece uma nova lesão no dedo do pé, semelhante àquelas observadas nos dedos das mãos.
É solicitada uma ecocardiografia transtorácica que revela uma vegetação móvel de 1 cm na cúspide da valva aórtica, produzindo regurgitação aórtica moderada. TC. do abdome mostra aumento do baço com infartos renais e esplênicos em forma de cunha. Que teste deve ser solicitado para confirmar o diagnóstico mais provável?
A. Sorologia para Bartonella
B. Anticorpos heterófilo contra o vírus Epstein-Barr (EBV)
C. Reação em cadeia da polimerase (PCR) para HIV
D. Esfregaço de sangue periférico
E. Sorologia para febre Q

  RATING: 0

Considera o caso de um homeless e 38 anos de idade trazido por ambulância ao serviço de emergência com ataque isquêmico transitório. Na entrada apresenta desvio facial e fraqueza do braço esquerdo de 20 minutos de duração e dor no quadrante superior esquerdo.
Nas últimas duas semanas apresentou febre subjetiva intermitente, diaforese é calafrios. Nega contato com animais ou viagem recente, assim como nega uso de algum antibiótico. A imagem não é entre as melhores, além da aparência desgrenhada, dentição precária, e o exame físico revela um homem em leve sofrimento. Como sinais vitais,tem febre de 38,2º C, frequência cardíaca de 90 bpm e à pressão arterial de 127/74 mmHg. A ausculta cardíaca com estetoscópio comum revela sopro diastólico precoce no terceiro espaço intercostal esquerdo. Abdominal, apresenta baço hipersensível, a 2 cm abaixo do rebordo costal. No dedo médio da mão direita e no dedo anular da mão esquerda há nódulos vermelhos dolorosos e hipersensíveis, de aparecimento recente. e piolhos do corpo e lêndeas são achados nas roupas.
São solicitados exames de rotina e a contagem de leucócitos é de 14.500/μL, com 5% de bastões e 93% de células polimorfonucleares. É instituído tratamento empírico com vancomicina. As culturas permanecem negativas depois de cinco dias, apesar do paciente continuar febril.
Hemodinamicamente, o mesmo se apresenta estável. No terceiro dia de internação, aparece uma nova lesão no dedo do pé, semelhante àquelas observadas nos dedos das mãos.
É solicitada uma ecocardiografia transtorácica que revela uma vegetação móvel de 1 cm na cúspide da valva aórtica, produzindo regurgitação aórtica moderada. TC. do abdome mostra aumento do baço com infartos renais e esplênicos em forma de cunha. Que teste deve ser solicitado para confirmar o diagnóstico mais provável?

A. Sorologia para Bartonella
CORRETO: Este paciente apresenta endocardite com cultura negativa, um aspecto raro definido por evidências clínicas de endocardite infecciosa na ausência de hemoculturas positivas. Nesse caso, as evidências de endocardite bacteriana subaguda incluem regurgitação valvar, vegetação na valva aórtica, e fenômenos embólicos nas extremidades, no baço e nos rins. Uma razão comum para a obtenção de hemoculturas negativas é o uso comuns (cujo isolamento é tecnicamente difícil em frascos de hemoculturas) são Coxiella burnetii causadora da febre Q (normalmente associada ao contato íntimo com gado) e Bartonella spp. Neste caso, a condição de morador de rua e à infestação por piolhos do corpo constituem indícios de infecção por Bartonella quintana. O diagnóstico é estabelecido por hemocultura em cerca de 25% dos casos. De outro modo, a reação em cadeia da polimerase direta do tecido valvar, quando disponível, ou as sorologias de fase aguda e convalescente constituem opções diagnósticas. O tratamento empírico para a endocardite com cultura negativa inclui habitualmente ceftriaxona e gentamicina, com ou sem doxiciclina. Para a endocardite por Bartonella confirmada, o tratamento ideal consiste em gentamicina mais doxiciclina. .
B. Anticorpos heterófilo contra o vírus Epstein-Barr (EBV)
INCORRETO : O EBV e o HIV não causam endocardite
C. Reação em cadeia da polimerase (PCR) para HIV
INCORRETO : veja a resposta da alternativa B
D. Esfregaço de sangue periférico
INCORRETO : Um esfregaço de sangue periférico não seria diagnóstico.
E. Sorologia para febre Q
INCORRETO : Coxiella burnetii causadora da febre Q é normalmente associada ao contato íntimo com gado.

Gabarito:  A

AVALIE ESSA QUESTÃO: (0)
DISCURSIVA: (86882 votos) ..........98.25% das questões discursivas receberam votos.
Respondam ás seguintes questões:

1)  Como que é, usualmente, adquirida a paracoccidiomicose? (0,2 p)

2) Indicam os remédios utilizados no tratamento da paracoccidiomicose utilizados no Brasil. (0,3 p)



RATING: 3.92

Respondam ás seguintes questões:

1)  Como que é, usualmente, adquirida a paracoccidiomicose? (0,2 p)

2) Indicam os remédios utilizados no tratamento da paracoccidiomicose utilizados no Brasil. (0,3 p)

1) A paracocidiomicose é adquirida usualmente por via inalatória: propágulos infecciosos de até 5 μ de diâmetro alcançariam brônquios terminais e alvéolos. (0,2 p)

2) As drogas mai utilizadas são:

a) A anfotericina B, hoje reservada para casos mais graves e disseminados, tem sido usada com frequência cada vez menor. É ainda a droga de escolha quando se trata de casos com risco de vida iminente ou quando há alterações do trato gastrointestinal, que impeçam a correia absorção por via oral. Recomenda-se a dose total de 1 a 2g, substituída a seguir por uma medicação por via oral até que sejam considerados os critérios de cura. (0,05 p)

b) A sulfadiazina, uma sulfa de ação rápida, é usada na maioria dos casos na dose de 60 a 100 mg/kg/dia, até no máximo 6g/dia, dividida em quatro vezes. (0,05 p)

c) Em muitos centros, a sulfadiazina tem sido substituída com comparável eficácia pela associação SMX-TMP (comprimidos de 400 e 80mg respectivamente), com a vantagem de melhor facilidade posológica, dois comprimidos duas a três vezes ao dia, de acordo com a gravidade do caso. Possui a vantagem de permitir a formulação parenteral, se necessário.O tratamento de manutenção também pode ser feito com essa droga, um comprimido de 12/12h. (0,05 p)

d) cetoconazol pode ser usado na dose de 200 a 400mg/dia. (0,05 p)

e) Atualmente, itraconazol tem sido mais usado, por ser mais potente in vitro, absorvido melhor e menos hepatotóxico. É administrado na dosagem de 100 a 200mg/dia, por 6 meses em média, dependendo da resposta clínica, após os quais alguns serviços recomendam terapêutica de manutenção com sulfas de ação lenta ou SMX-TMP. (0,05 p)

f) A experiência clínica com fluconazol - melhor opção para o tratamento da neuroparacoccidioidomicose, pela sua alta concentração no SNC é bem menor, e estudos mostram menor atividade in vitro anti-P. brasiliensis, comparativamente ao itraconazol. (0,05 p)

FONTE:
http://misodor.com/PARACOCCIDIOMICOSE.php

AVALIE ESSA QUESTÃO: (3.92)

CASO CLINICO: (91552 votos)..........100% dos casos clinicos receberam votos.
João Gomes, 32 anos, trabalhador braçal rural procura atendimento na Unidade Básica de Saúde com história de que enquanto dava ração para os porcos foi mordido por um deles na região do antebraço esquerdo. Isto aconteceu há dois dias. Desconhece sua situação vacinal. Ao exame: Encontra-se em bom estado geral, febril (39º C), consciente. Presença de lesão corto-contusa, em número de duas, profunda, com secreção purulenta. Fez tratamento com folha de couve. Pede-se:
1) Quais os riscos a que o João está correndo em relação a sua saúde? - 0.15 pontos
2) Faça uma proposta de prevenção/tratamento para cada um desses riscos. - 0,35 pontos


RATING: 2.98

1) Quais os riscos a que o João está correndo em relação a sua saúde?
- Tétano acidental; 0,05 pontos
- Raiva; 0,05 pontos
- Infecção de extremidade superior esquerda. 0,05 pontos
2) Faça uma proposta de prevenção/tratamento para cada um desses riscos.
I) Considerações gerais sobre a prevenção dos riscos:
- Informar o paciente sobre os riscos, esclarecer e estimular a prevenção de novos acidentes com a orientação sobre o uso de equipamentos de prevenção individual, bem como buscar orientações sobre higiene e segurança no ambiente de trabalho. - Orientar a lavar novos ferimentos, imediatamente, com água corrente, sabão ou outro detergente. - A seguir, devem ser utilizados anti-sépticos que inativem o vírus da raiva (polivinilpirrolidona-iodo, por exemplo, o polvidine ou gluconato de clorexidina ou álcool-iodado). Essas substâncias deverão ser utilizadas uma única vez. Posteriormente, lavar a região com solução fisiológica;(0,0875 p)
II) Tétano acidental;
Como não a situação vacinal é ignorada, proceder a profilaxia do tétano acidental com administração de Vacina antitetânica (total de 3 doses com intervalo mínimo de 30 dias cada uma) e Soro antitetânico (Heterólogo) 5.000 UI via intramuscular ou Imunoglobulina humana antitetânica (homólogo) 250 UI intramuscular em dose única em local diverso da vacina .(0,0875 p)

III) Raiva;
Profilaxia para raiva. Como se trata de animal de produção e acidente considerado grave, iniciar tratamento com soro antirrábico homólogo ou heterólogo e vacina antirrábica. O soro antirrábico homólogo, deve ser utilizado na dose de 20 UI/Kg e o soro antirrábico heterólogo deve ser administrado na dose de 40 UI/Kg, em dose única, infiltrando-se a maior dose possível no local do ferimento, caso não seja possível infiltrar toda a dose o restante deverá ser aplicado na região glútea. Ao usar o soro heterólogo, pré-medicar o paciente com anti-histamínicos H1 e H2, além de corticoides para prevenção de reações de hipersensibilidade imediata. As vacinas antirrábicas indicadas são as de cultivo celular ou Fluenzalida-Palacios, de acordo com calendário vacinal recomendado.(0,0875 p)
IV) Infecção de extremidade superior esquerda.
- Limpeza e debridamento com retirada de material necrótico.
- Iniciar antibióticoterapia, com cobertura de amplo espectro, as opções aceitáveis são: Amoxicilina + Ácido clavulânico, Oxacilina, Cefalosporina de 1ª geração ou cefoxitina (0,0875 p)

AVALIE ESSE CASO CLINICO: (2.98)

 

1231 USUARIOS INSCRITOS

243 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

721 RECADOS DOS VISITANTES

NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
7323 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1740 DE CLINICA, 3413 DE PEDIATRIA, 1300 DE CIRURGIA, 232 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 387 DE SAUDE PUBLICA
114 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 140 CASOS CLINICOS

Todos os direitos reservados. 2020.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.