m  i  s  o  d  o  r


        SITE PREPARATORIO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA, REVALIDA, CONCURSOS PUBLICAS E PROVAS DE TITULO

 


usuario: senha:


NÃO SOU CADASTRADO
                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO


1034 USUARIOS INSCRITOS

210 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

719 RECADOS DOS VISITANTES


NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
6219 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1442 DE CLINICA, 2677 DE PEDIATRIA, 1260 DE CIRURGIA, 201 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 361 DE SAUDE PUBLICA

 

 

 

 

 

AINDA CONTAMOS COM UM ARQUIVO DE 138 CASOS CLINICOS
COMENTADOS E GABARITADOS

CONFIRA ALGUNS EXEMPLOS, ESCOLHIDAS PELO SISTEMA ALEATÓRIO:

OBJETIVA:
A primeira avaliação dos pacientes com  AIDS que apresentam disturbios gastrointestinais tem que incluir:
A. duas biópsias sigmoidais, um exame coproparazitologico eventualmente repetido se for o primeiro negativo e duas avaliações PPD
B. dois esfregaços HE das fezes, três pesquisas diretas de mycobacterias atipicas e o titulo da fosfatase alcalina
C. três incidências de radiografia abdominal com contraste, colhimento de suco intestinal e bile e três coproculturas para lactobacillus
D. uma sigmoidoscopia com biópsia, três pesquisas diretas de bacilos álcool-ácido-resistentes em amostras diferentes de fezes e três exames para pesquisa do sangramento oculto
E. três exames parasitológicos de fezes, três pesquisas diretas de bacilos álcool-ácido-resistentes em amostras diferentes de fezes e três coproculturas para bactérias Gram-negativas enteropatogênicas

A primeira avaliação dos pacientes com  AIDS que apresentam disturbios gastrointestinais tem que incluir:

A. duas biópsias sigmoidais, um exame coproparazitologico eventualmente repetido se for o primeiro negativo e duas avaliações PPD
INCORRETO:
B. dois esfregaços HE das fezes, três pesquisas diretas de mycobacterias atipicas e o titulo da fosfatase alcalina
INCORRETO :
C. três incidências de radiografia abdominal com contraste, colhimento de suco intestinal e bile e três coproculturas para lactobacillus
INCORRETO :
D. uma sigmoidoscopia com biópsia, três pesquisas diretas de bacilos álcool-ácido-resistentes em amostras diferentes de fezes e três exames para pesquisa do sangramento oculto
INCORRETO :
E. três exames parasitológicos de fezes, três pesquisas diretas de bacilos álcool-ácido-resistentes em amostras diferentes de fezes e três coproculturas para bactérias Gram-negativas enteropatogênicas
CORRETO : A avaliação inicial nos doentes com AIDS e diarréia deve incluir pelo menos três exames parasitológicos de fezes para pesquisa de ovos e parasitas, três pesquisas diretas de bacilos álcool-ácido-resistentes em amostras diferentes de fezes e três coproculturas para bactérias Gram-negativas enteropatogênicas.

Gabarito:  E

DISCURSIVA:
Cite os resultados de exames laboratoriais que confirmam o diagnóstico de Síndrome HELLP. (0,5 pontos).

Cite os resultados de exames laboratoriais que confirmam o diagnóstico de Síndrome HELLP. (0,5 pontos).

- Presença de esquizócitos em sangue periférico (0,125 p)
- Plaquetopenia ou plaquetas abaixo de 100.000/mL (0,125 p)
- Enzimas hepáticas elevadas ou TGO, TGP e DHL elevados (0,125 p)
- Bilirrubinemia - Bilirrubinas elevadas (0,125 p)

FONTE:
REVALIDAÇÃO DE DIPLOMA DE MEDICO 2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO - CUIABÁ

CASO CLINICO:

Você recebe no seu plantão noturno uma criança de 4 anos, M, parda, com historia de oito dias de febre, apatia e recusa da alimentação.

Na hora do atendimento, criança com prostração, febre 38.9ºC, exantema petequial disseminado praticamente corpo inteiro, Glasgow 15, eupneico (FR 28/min), PA 96/58 mmHg, frequência cardiaca 120/min. Abdomen globoso (ascite?), figado palpável á 2 cm abaixo da borda costal direita, baço á 3 cm borda costal esquerda. Edemas ++/++++ nos dois pés. Edema palpebral e facial leve. Linfonodos cervicais e inguinas palpáveis. Tempo de enchimento capilar 2 segundos.

Feita hemograma na urgência: hemácias 3,94 mil/mmc; hematocrito 34%, leucocitos 2630/mmc, bastões 7%, neutrofilos 43%, plaquetas 73.000/mmc. PCR 185. TGO = 125; TGP = 102; LDH = 1959;

Foram solicitados testes rápidos: dengue negativo, zika e chikungunya negativo, sifilis negativo, leptospirose negativo.

Conversando com a mãe, a mesma relata que, na região aonde mora há uma colónia de capívaras.

Pergunta-se:

1) Qual a hipótese diagnóstica? (0,1 pontos)

2) Qual é o agente etiológico? (0,1 pontos)

3) Qual o exame especifico para confirmar a moléstia suspeitada? (0,1 pontos)

4) Qual o tratamento especifico neste caso? (0,1 pontos)

5) Quais são as complicações desta doença? (0,1 pontos)




1) Qual a hipótese diagnóstica?

Febre maculosa - (0,1 p)

Comentário: Exantema máculo-papular, de evolução centrípeta e predomínio nos membros inferiores, podendo acometer região palmar e plantar, Início abrupto e os sintomas são inespecíficos de início (febre, em geral alta; cefaleia; mialgia intensa; mal-estar generalizado). Edema de membros inferiores, hepatoesplenomegalia, manifestações renais com olligúria, manifestações hemorrágicas, como petéquias e sangramento muco-cutâneo, digestivo e pulmonar, junto com o importante dado, uma doença infecciosa febril aguda, transmitida por carrapatos, de gravidade variável, que pode cursar com formas leves e atípicas até formas graves com elevada taxa de letalidade.

2) Qual é o agente etiológico?

Agente etiológico: bactéria gram-negativa intracelular obrigatória: Rickettsia rickettsii, Rickettsia parkeri. (0,1 p)

Comentário: No Brasil, os principais vetores e reservatórios são os carrapatos do gênero Amblyomma, tais como A. cajennense, A. cooperi (dubitatum) e A. aureolatum. Entretanto, potencialmente, qualquer espécie de carrapato pode ser reservatório, por exemplo, o carrapato do cão, Rhipicephalus sanguineus. Os equídeos, roedores como a capivara (Hydrochaeris hydrochaeris), e marsupiais como o gambá (Didelphys sp) têm importante participação no ciclo de transmissão da febre maculosa e há estudos recentes sobre o envolvimento destes animais como amplificadores de riquétsias, assim como transportadores de carrapatos potencialmente infectados.

3) Qual o exame especifico para confirmar a moléstia suspeitada?

Sorologia (IgG) para febre maculosa. (0,1 p)

Comentário: Reação de imunofluorescência indireta (RIFI) Método sorológico mais utilizado para o diagnóstico das riquetsioses (padrão ouro). Em geral, os anticorpos são detectados a partir do 7o até o 10o dia de doença. Os anticorpos IgM podem apresentar reação cruzada com outras doenças (dengue, leptospirose, entre outras) e, portanto, devem ser analisados com critério. Já os anticorpos IgG aparecem pouco tempo depois dos IgM e são os mais específicos e indicados para interpretação diagnóstica.

4) Qual o tratamento especifico neste caso?

Doxiciclina Para crianças com peso inferior a 45kg, a dose recomendada é 2,2mg/kg de 12 em 12 horas, por via oral ou endovenosa, a depender da gravidade do caso, devendo ser mantido por 3 dias após o término da febre. Sempre que possível seu uso deve ser priorizado. (0,05 p)

Cloranfenicol 50 a 100mg/kg/dia, de 6 em 6 horas, até a recuperação da consciência e melhora do quadro clínico geral, nunca ultrapassando 2g por dia, por via oral ou endovenosa, dependendo das condições do paciente. (0,05 p)

5) Quais são as complicações desta doença?

Se não tratado, o paciente pode evoluir para um estágio de torpor e confusão mental, com frequentes alterações psicomotoras, chegando ao coma profundo. Icterícia e convulsões podem ocorrer em fase mais avançada da doença. Nesta forma, a letalidade, quando não ocorre o tratamento, pode chegar a 80%. (0,1 p)

Todos os direitos reservados. 2019.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.