MONITOR DE QUESTÕES

VERIFIQUE RAPIDO SEUS CONHECIMENTOS!

 

VOLTAR

SAIR

Conteudo programatico: PÓS-OPERATÓRIO

4392. Paciente de 58 anos, após estadiamento clínico, foi submetido à resseção de adenocarcinoma de cólon localizado em ângulo esplênico. Durante o ato operatório, na liberação do ângulo esplênico, houve laceração da cápsula esplênica, complicação que acabou levando a esplenectomia tecnicamente difícil. Foi deixado um dreno tubular na loja esplênica que apresentou débito em torno de 150 mL/dia de secreção inicialmente sero-sanguinolenta que depois se apresentou clara e aquosa. No exame físico do terceiro dia de pós-operatório, o paciente apresenta abdômen flácido com peristalse diminuída; Tax.: 36,0ºC; PA 130/80 mmHg e FC = 90 bpm. O débito da fístula mantém-se em 120-150 mL/dia. A conduta diagnóstica adequada é:

A. cultura e antibiograma da secreção
B. administração de azul de metileno
C. dosagem de amilase na secreção
D. fistulografia
E. nova laparotomia

Conteudo programatico: PÓS-OPERATÓRIO

4391. O agente infeccioso mais comumente implicado na parotidite supurativa observada no pósoperatório tardio de alguns idosos é:

A. Escherichia coli
B. Streptococcus viridans
C. peptoestreptococo
D. Staphylococcus aureus
E. Haemophilus influenzae

Conteudo programatico: CÓLON

4390. Em relação a hemorragia digestiva baixa, podemos afirmar, EXCETO:

A. o sangramento ocasionado pela moléstia diverticular do cólon é proveniente do cólon direito na maior parte dos casos
B. a hemorragia proveniente de divertículos adquiridos geralmente ocorre na ausência inflamação aguda ou crônica
C. somente 20% dos pacientes que sangram pela moléstia diverticular do cólon complicada terão interrupção espontânea do episódio antes de chegar ao hospital
D. a angiodisplasia é causa freqüente de sangramentos do trato digestivo baixo, apresentando em alguns pacientes correlação com estenose aórtica
E. sangramentos de vulto em pacientes hemodinamicamente instáveis podem requerer colectomia subtotal.

Conteudo programatico: CICATRIZAÇÃO DAS FERIDAS

4389. Leia as seguintes afirmativas:
(I) a deficiência de vitamina A interfere no processo de adesão celular e interfere nos receptores de TGF-beta
(II) a albumina deve estar abaixo de 2 g/dL para prejudicar o processo de cicatrização
(III) no escorbuto, o processo de cicatrização fica estagnado na fase de fibroplasia
(IV) a deficiência de zinco interfere no processo de cicatrização
Estão corretas:

A. I, III e IV
B. I, II e IV
C. I e IV
D. I e III
E. I, II, III e IV

Conteudo programatico: ONCOLOGIA

4388. As resseções de metástases hepáticas, em casos selecionados, melhoram a sobrevida de pacientes com determinadas neoplasias malignas. Este procedimento traz benefício em qual dos tumores abaixo?

A. cólon e melanoma
B. mama e cólon
C. rim e melanoma
D. cólon e gastrinoma
E. melanoma e mama

Conteudo programatico: PANCREATITE AGUDA

4387. Dentre as medidas de suporte empregadas nas primeiras 48 horas em um paciente com episódio de pancreatite intersticial, que evolui bem, inclui:

A. hidratação venosa e reposição eletrolítica
B. suspensão da analgesia
C. terapia com octreotídio subcutâneo
D. descompressão nasogástrica
E. profilaxia antibiótica

Conteudo programatico: PÓS-OPERATÓRIO

4386. Em cirurgias eletivas de grande porte e não complicadas, a fase de anabolismo inicia-se:

A. nas primeiras 6 horas de pós-operatório
B. após o décimo dia de pós-operatório
C. após 3 a 6 dias de pós-operatório
D. após duas semanas de pós-operatório
E. nas primeiras 12 horas de pós-operatório

Conteudo programatico: PÓS-OPERATÓRIO

4385. Caracteriza a resposta endócrina metabólica a uma cirurgia eletiva de grande porte, EXCETO:

A. glicogenólise
B. gliconeogênese
C. redução de ácidos graxos livres
D. lipólise
E. elevação das catecolaminas

Conteudo programatico: DOENÇAS DAS VIAS BILIARES

4384. Uma mulher de 46 anos apresenta icterícia progressiva associada a prurido e acolia fecal. Não há emagrecimento nem dor abdominal. Refere ter se submetido a colecistectomia videolaparoscópica a cerca de dois meses. Ao exame físico ictérica ++/4, hidratada, corada, PA = 130 x 100 mmHg; IMC = 35 kg/m2; RCR em 2T BNF sem sopros; pulmões limpos; abdômen com discreta hepatomegalia; membros inferiores sem edemas, pulsos palpáveis e panturrilhas livres. A hipótese etiológica mais provável para a icterícia apresentada é: Comentário:

A. trauma da via biliar
B. colangite esclerosante
C. oddite secundária
D. esteatohepatite não alcoólica
E. coledodolitíase residual

Conteudo programatico: ATESTADO DE OBITO

4383. Uma paciente de 55 anos, internada na enfermaria de hematologia com diagnóstico de leucemia mielóide aguda, evolui no segundo dia de internação com neutropenia grave (50 neutrófilos) e febre. Neste momento é iniciado antibioticoterapia e solicitado hemoculturas. No quarto dia de internação desenvolve sepse com instabilidade hemodinâmica, vindo a falecer de choque séptico no quinto dia de internação. Qual a causa básica da morte que deve constar no atestado de óbito?

A. choque séptico
B. neutropenia febril
C. sepse
D. leucemia mielóide aguda
E. é necessária a realização de necropsia para definir a causa básica da morte

QUESTÕES DOS COLABORADORES

Conteudo programatico:  CANCER DE OVARIO

AUTOR:           GUILLERMO

5046: PACIENTE DE 52 ANOS FOI DIAGNOSTICADA DE CARCINOMA DE OVARIO SEROSO , INOPERAVEL PELA EXTENÇÃO ABDOMINAL MACIÇA. 
A CONDUTA MAIS ADEQÜADA É:  
                                            A) CUIDADOS PALIATIVOS
                                            B) RADIOTERAPIA ABDOMINAL
                                            C) QUIMIOTERAPIA
                                            D) PROGESTÁGENOS
                                            E) ANTIESTRÓGENOS 

Conteudo programatico:  HANSENIASE

AUTOR:           DANIEL

5044:

Paciente do sexo masculino, 43 anos, apresenta quadro de infiltrações nas orelhas externas, madarose, ressecamento da pele e dos membros, dor articular, espessamento no nervo ulnar  e astenia. Mitsuda negativo. A classificação e a forma de tratamento desse hanseníase estão corretamente associadas na seguinte opção de resposta:

a) poliquimioterapia multibacilar ------- forma virchowiana.
b) poliquimioterapia paucibacilar ------- forma dimorfa.
c) poliquimioterapia paucibacilar ------- forma virchowiana.
d) poliquimioterapia multibacilar ------- forma dimorfa.
e) poliquimioterapia multibacilar ------- forma tuberculoide.

Conteudo programatico:  HANSENIASE

AUTOR:           DANIEL

5043:

Paciente do sexo masculino apresenta lesões de pele sugestivas de hanseníase multibacilar (MB). Em nenhum dos comunicantes intradomiciliares foi diagnosticada hanseníase. A alternativa que melhor corresponde à medida profilática adequada para os comunicantes é:

a) observação dos comunicantes, sem nenhuma medida adicional.
b) quimioprofilaxia com rifampicina por dois dias.
c) quimioprofilaxia com dapsona por 6 meses.
d) vacinação com BCG para os comunicantes menores de 5 anos.
e) vacinação com BCG para todos os comunicantes.

Conteudo programatico:  HANSENIASE

AUTOR:           DANIEL

5042:

Você recebe em seu consultório uma mulher de 30 anos, residente em Fortaleza-CE, no 4° mês de tratamento de Hanseníase Virchowiana, que desenvolveu nódulos eritematosos, dolorosos no tronco, face e membros superiores há 3 dias. A melhor conduta é:

a) suspender o tratamento, pois trata-se de reação alérgica à clofazimina.
b) suspender apenas a dapsona e iniciar terapia com anti-histamínicos.
c) suspender o tratamento e inicar terapia com talidomida, de 100 a 400 mg/dia, até a resolução do quadro e, então, reiniciar o tratamento específico.
d) manter o tratamento e iniciar predinosa, de 1 a 2 mg/kg/dia.
e) manter o tramento e iniciar terapia com talidomida nas doses recomendadas.

Conteudo programatico:  HANSENIASE

AUTOR:           DANIEL

5041:

Considere o seguinte quadro:
Paciente, apresenta lesões eritemato-infiltradas, anestésicas, duas em face e três no tronco. O teste de Mitsuda foi positivo 28 dias após a injeção intradérmica. Clinicamente, considerou-se o diagnóstico de Hanseníase.
Em relação a esse caso, assinale a alternativa INCORRETA:

a) A forma tuberculóide apresenta placas bem delimitadas com raros bacilos.
b) As formas boderline/dimorfa apresentam distribuição assimétrica das lesões cutâneas e dos nervos envolvidos.
c) A forma virchowiana/lepromatosa acomete difusamente a pele, tendo se infiltrado com histiócitos espumosos ricos em bacilos.
d) Pacientes paucibacilares são geralmente Mitsuda positivos.
e) Eritema Nodoso Hansênico é uma reação comum aos paciente de hanseníase quando iniciam o tratamento, independente da sua forma clínica. 

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5040: O uso profilático de AZT injetável no pré-parto, segundo ACTG 076, reduz a transmissão vertical em:

a) 10%
b) 17%
c) 25%
d) 67%
e) 85%

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5039: Em relação à transmissão vertical do HIV, é correto afirmar:

a) A cesariana eletiva reduz pela metade a transmissão vertical do HIV, quando comparada com a cesariana realizada depois do inicio do trabalho de parto.
b) O aleitamento materno não é contra-indicado se a contagem de linfócitos T-CD4 for maior que 500 células/mm3.
c) Com carga viral abaixo de 10.000 cópias/ml, a via de parto será indicada por critérios obstétricos.
d) O uso de zidovudina intravenosa deve ser iniciado uma hora antes do parto.
e) A episiotomia não tem relação com o risco de transmissão vertical do HIV.

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5038: Gestante, 26 anos de idade, G2P0A1, 34 semanas de idade gestacional, foi encaminhada da Unidade Básica de Saúde com diagnóstico comprovado de infecção com o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), assintomática.
Sobre a utilização de anti-retrovirais para esta paciente, qual a alternativa CORRETA:

a) aguardar o resultado da carga viral para definir qual esquema anti-retroviral será utilizado.
b) Iniciar com inibidores da transcriptase reversa (zidovudina + lamivudina) e inibidor de protease (nelfinavir).
c) Iniciar com inibidores da transcriptase reversa ( zidovudina + efavirenz) e inibidor de protease (nelfinavir).
d) Iniciar com zidovudina e aguardar o resultado da carga viral para ajuste da dose.
e) Nenhum anti-retroviral, pois devemos interromper imediatamente a gravidez para diminuir o risco de transmissão vertical do HIV.

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5037: Gestante no curso da 10a semana apresenta quadro clínico de AIDS com tuberculose pulmonar. A contagem de linfócitos T-CD4 é de 400 células/ml e se pretende usar a rifampicina para o tratamento da tuberculose. A melhor opção para o tratamento da AIDS, neste caso, é:

a) Monoterapia de imediato com zidovudina (AZT).
b) Terapia dupla (zidovudina + lamivudina).
c) Terapia tripla (zidovudina + lamivudina + nelfinavir).
d) Terapia tripla (zidovudina + lamivudina + abacavir).
e) Terapia tripla (zidovudina + lamivudina + hidroxiuréia).

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5036: Em relação ao manejo de paciente gestante HIV positivo, são recomendações do Ministério da Saúde, EXCETO:

a) O uso de profilaxia com anti-retrovirais deve ser iniciado a partir da 14a semana de gestação e continuar durante o trabalho de parto e parto até o clampeamento do cordão.
b) Em relação aos critérios de escolha da via de parto, recomenda-se o parto por operação cesariana eletiva se a paciente apresentar carga viral inferior a 1.000 cópias/ml ou indetectável ou estiver com idade gestacional maior ou igual a 34 semanas.
c) No parto vaginal, a episiotomia deve ser evitada sempre que possível e deve-se manter a bolsa íntegra até o período expulsivo.
d) Não há necessidade de se isolar a mulher HIV positivo.
e) Realizar o clampeamento do cordão imediatamente após a saída do recém-nascido.

 

VOLTAR
SAIR