AREA DE SAUDE COLETIVA
CONTEUDO PROGRAMATICO

SAIR                                                                                            VOLTAR

 


Unidade I – Políticas de Saúde

SUS – princípios e diretrizes;

Modelo assistencial em saúde: hegemônicos, paradigmas, modelos alternativos.

Modelos de vigilância em saúde: conceitos e métodos de intervenção.

Atenção primária à saúde;

Controle social.

LEGISLAÇÃO SANITARIA BASICA

 

Unidade III – Saúde da Família

Objetivos, concepção, princípio, atribuições, reorganização da unidade a das práticas.
Manual de implantação da saúde da família.
Ferramentas principais utilizadas na unidade de saúde da família. Método tradicional.

 

Unidade IV – Planejamento

Planejamento e programação local: objetivos, tipos, diagnósticos e metodologia.
Prática programática local: programa de hanseníase e TB: programa de atenção ao idoso.


Unidade V – Saúde, trabalho e meio ambiente

Vigilância em saúde; Conceito de vigilância; Organização e importância do SVE; Funcionamento do Sistema de Vigilância Epidemiológica.
Saneamento; Conceito, Atividade do Saneamento e Vigilância de água e alimentos.
Controle de Vetores; Controle e Vigilância de Medicamentos.
Controle e Vigilância no uso e inseticidas e Defensivos Agrícolas.
Visita técnica – Saneamento da água.
Saúde e alterações ambientais – Os grandes impactos ambientais e suas influências sobre a saúde.
Epidemiologia e Vigilância da Saúde do trabalhador; Conceito de acidentes e doenças do trabalho; Exemplos práticos; legislação aplicada à proteção da saúde do trabalhador.
Organizações de serviços que atuam na atenção à saúde do Trabalhador;
Programas de proteção e prevenção em saúde do trabalhador, A saúde do trabalhador contexto global da saúde.
Prática: Programas de atenção à saúde do trabalhador.
Planejamento e gestão/ Programa Saúde da Família
Atestados médicos e de óbitos.


Unidade VI Bioestatistica e demografia

introdução à Bioestatística e demografia:

Estatística em saúde: conceito e elementos de bio-estatística. Estatística Vital e Demografia. Dado e informação. Recenseamento, estimativas e pirâmides populacionais. Dinâmica populacional. Registro e fonte de dados.
Levantamento de dados, apresentação tabular e gráfica. Análise descritiva de variáveis quantitativas: medidas de tendência central (média, mediana, moda).
Medidas de dispersão (variância e desvio padrão). Separatrizes (quartis, decis, percentis). Análise descritiva de variáveis qualitativas. Associação em tabela 2x2. Qui-quadrado. Teste de hipótese

Introdução à epidemiologia:

Conceitos, objeto, teorias. Teorias unicausal, ecológica, multicausal e social.
História natural das doenças. Demografia e epidemiologia: a transição demográfica e a transição epidemiológica. Padrões de distribuição das doenças: variáveis relacionadas ao tempo: endemias e epidemias. Variáveis relacionadas ao espaço. Variáveis relacionadas às pessoas.

Metodologia da pesquisa epidemiológica: bases da pesquisa epidemiológica. Tipos e usos de estudos epidemiológicos (corte transversal, ecológico, coorte, caso e controle e de intervenção). Medidas de associação (risco relativo, risco atribuível, odds ratio).

Diagnóstico: sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo, valor preditivo negativo.

Epidemiologia em serviços:

Usos da epidemiologia. Análise de situação de saúde: sistemas de informação em saúde (SIM e o Atestado de Óbito, SINASC, SINAN, SIA-SUS, SIH-SUS, SIAB, outros).

Indicadores demográficos, de mortalidade, morbidade e fatores de risco, sócio-econômicos, de recursos e cobertura;

Avaliação epidemiológica de serviços;

Vigilância em saúde.

 

BIBLIOGRAFIA BASICA

1. DUNCAN, Bruce B. et al. Medicina ambulatorial: condutas clínicas em atenção primária. 3ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2004.
2. STARFIELD, Barbara. Atenção Primária, equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços-tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde, 2002. 726p.
3. McWHINNEY. A Textbook of Family Medicine, 2 ed., Oxford. Oxford University Press, 1997. 448p.
4. WONCA. A Definição Européia de Medicina Geral e Familiar. Justin Allen et al., WONCA, 2002. [disponível na página da SBMFC na Internet: www.sbmfc.org.br - traduzido para o português]
5. CARVALHO, Guido Ivan; SANTOS, Lenir. Sistema Único de Saúde: Comentários à Lei Orgânica da Saúde (Leis 8.080/90 e 8.142/90). 3ed. Campinas, Ed. Unicamp, 2001.
6. RAKEL, R. E. Textbook of family practice. Philadelphia, W B Saunders Co, 2001. 1725p. – Part I – Principles of Family Practice.
7. Guia de controle da hanseníase. Ministério da Saúde, 2004.
8. Tuberculose: Guia de Vigilância Epidemiológica. Ministério da Saúde, 2004.
9. A propósito da medicina da família. Ana Maria Santana. Disponível na internet: http://www.sbmfc.org.br/site/bib/download/APropositoda.pdf
10. Consensos sobre diagnóstico e tratamento de diabetes, hipertensão, DPOC, asma, síndrome metabólica, obesidade, lombalgia. Disponível na internet:  http://www.consensos.med.br/
11. Princípios de Medicina Interna. Harrison. 2004.
12. LEÃO et al. Pediatria Ambulatorial. CoopMed, 2005.
13. ABRASCO - III Plano Diretor para o Desenvolvimento da Epidemiologia no Brasil: 2000-2004. Rio de Janeiro, 2000.
14. Andrade SM; Soares D A; Cordoni Jr. L (Org.) Bases da Saúde Coletiva. Londrina: Editora da UEL, 2001. v. 1. 268 p.
15. Berquó E et all. Bioestatística. São Paulo, EPU, 1981.
16. Carvalho, D M. Grandes sistemas nacionais de informação em saúde: revisão e discussão da situação atual. Inf Epidemiol SUS, 1997; 4 (4): 7-46.
17. Drumond Jr. Epidemiologia em Serviços de Saúde. In: Campos G W et al. (org) Tratado de Saúde Coletiva. Rio de Janeiro: Hucitec/Ed. Fiocruz, 2006. p. 419- 56.
18. Ferreira S M G. Sistema de Informação em Saúde. In: Ministério da Saúde. Gestão Municipal de Saúde: textos básicos. Rio de Janeiro: Brasil, Ministério da Saúde, 2001, p. 170-191.
19. Laurenti et all. Estatísticas de saúde. São Paulo, EPU, 1987.
20. Medronho R A; Carvalho DM; Bloch K U; Raggio Luiz E; Werneck G. Epidemiologia São Paulo: Atheneu, 2002.

SAIR