m  i  s  o  d  o  r


        SITE PREPARATORIO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA, REVALIDA, CONCURSOS PUBLICOS E PROVAS DE TITULO

usuario: senha:


NÃO SOU CADASTRADO
                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO



1006 USUARIOS INSCRITOS

205 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

718 RECADOS DOS VISITANTES


NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
6201 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1433 DE CLINICA, 2668 DE PEDIATRIA, 1260 DE CIRURGIA, 201 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 361 DE SAUDE PUBLICA
102 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 138 CASOS CLINICOS

"HALL OF FAME" - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO GERAL AQUI:

Pos.    Nickname Pontuação Media Nr. provas
1.    MO 482.00 9.181 21
2.    KATY 461.90 2.589 17
3.    TARGIGNIS 424.30 6.573 11

SITES RECOMENDADOS:

 

CONFIRA ALGUNS EXEMPLOS, ESCOLHIDOS PELO SISTEMA ALEATÓRIO:

OBJETIVA: (237297 votos)..........98.98% das questões objetivas receberam votos.
Em relação às doenças inflamatórias intestinais idiopáticas podemos afirmar, EXCETO:
A. a colite granulomatosa, assim como a retocolite ulcerativa, apresenta risco para desenvolvimento de câncer colorretal
B. na retocolite ulcerativa podemos encontrar manifestações extraintestinais, como por exemplo, eritema nodoso, artrite periférica, nefrolitíase e colelitíase por má absorção de sais biliares
C. os glicocorticóides não são empregados como tratamento de manutenção
D. o p-ANCA apresenta associação mais consistente com retocolite ulcerativa, sobretudo nos pacientes que apresentam colangite esclerosante primária
E. o paciente com extenso envolvimento do íleo-colônico na doença de Crohn apresenta diarréia por vários mecanismos

  RATING: 2.9

Em relação às doenças inflamatórias intestinais idiopáticas podemos afirmar, EXCETO:

A. a colite granulomatosa, assim como a retocolite ulcerativa, apresenta risco para desenvolvimento de câncer colorretal
INCORRETO: Os pacientes com doença de Crohn do intestino delgado de iooga duração e, em particular, do cólon, apresentam uma incidência aumentada de câncer. O tratamento destes pacientes é o mesmo de qualquer paciente (ou seja, a ressecção do câncer com as margens apropriadas e dos linfonodos regionais). Os pacientes com um câncer associado à doença de Crohn comumente têm um pior prognóstico do que aqueles que não têm Crohn, com base principalmente no fato que o diagnóstico nestes pacientes fica retardado.
B. na retocolite ulcerativa podemos encontrar manifestações extraintestinais, como por exemplo, eritema nodoso, artrite periférica, nefrolitíase e colelitíase por má absorção de sais biliares
CORRETO : A nefrolitíase se associa a ileíte de Crohn em razão da máabsorção de ácidos graxos, que quando presentes em grande quantidade na luz intestinal, se ligam ao cálcio, deixando o oxalato livre para ser absorvido pela mucosa intestinal... hiperoxalemia e conseqüente hiperoxalúria (aumento de oxalato na urina), facilitam a formação de cálculos renais de oxalato de cálcio!!! A formação de cálculos na vesícula biliar é favorecida pela diminuição do “pool” total dos sais biliares, aumentando a litogênese da vesícula biliar...
C. os glicocorticóides não são empregados como tratamento de manutenção
INCORRETO : Os corticosteróides, particularmente a prednisona, foram benéficos na indução da remissão na doença de Crohn ativa. No entanto, eles são ineficazes na manutenção da remissão da doença de Crohn. Corticosteróides mais modernos foram avaliados, dos quais constatou-se que a budesonida é a mais promissora. Apesar de poder-se empregar a combinação da sulfassalazina com os corticosteróides, para manter os pacientes por períodos curtos, após a resolução da exacerbação inflamatória aguda, o uso a longo prazo destes compostos, isoladamente ou em combinação, não se mostrou benéfico na prevenção da recorrência da doença. Dada uma resposta relativamente boa à mesalamina e a sua segurança relativa, a budesonida pode ser considerada como uma alternativa à mesalamina como terapia de primeira linha para os pacientes com doença de Crohn ativa.
D. o p-ANCA apresenta associação mais consistente com retocolite ulcerativa, sobretudo nos pacientes que apresentam colangite esclerosante primária
INCORRETO : Um capítulo importante atual é a determinação de marcadores sorológicos, que já tem demonstrado importante papel na diferenciação de subgrupos .Na colite ulcerativa, a determinação do anticorpo anticitoplasma de neutrófilo (p ANCA) tem prevalência entre 50 a 80% na colite ulcerativa e 10 a 40% na doença de Crohn.Note-se que os casos de Crohn ANCA positivos, tem comportamento muito semelhante à colite com predomínio do lado esquerdo e outras semelhanças endoscópicas e histológicas. O diagnóstico da CEP (colangite esclerosante primária) normalmente é feito por colangiografia (endoscópica, transparietal ou por ressonância nuclear magnética, apesar da endoscópica ser a preferida). A biópsia hepática é importante no diagnóstico e para avaliar o grau da doença. Exames laboratoriais costumam mostrar aumento da fosfatase alcalina e as transminases quase sempre estão elevadas até 3 a 5 vezes o limite normal. As bilirrubinas podem se elevar à medida que a doença progride. Não há autoanticorpo característico, apesar do p-ANCA (anticorpo anticitoplasma de neutrófilos, padrão perinuclear) e ANA serem comuns (o p-ANCA está presente em 33 a 88% dos portadores de CEP).
E. o paciente com extenso envolvimento do íleo-colônico na doença de Crohn apresenta diarréia por vários mecanismos
INCORRETO : Caracteristicamente, há períodos sintomáticos de dor abdominal e diarréia intercalados com períodos assintomáticos de durações variáveis. Com o passar do tempo, os períodos sintomáticos gradualmente se tornam mais freqüentes, mais graves e apresentam duração mais longa.

Gabarito:  B

AVALIE ESSA QUESTÃO: (2.9)
DISCURSIVA: (15899 votos) ..........100% das questões discursivas receberam votos.
Os recém-nascidos não constituem um grupo homogêneo; a classificação permite definir grupos de riscos de morbimortalidade peri e neonatal para ações preventivas e terapêuticas. Os critérios utilizados são: peso ao nascer (PN), idade gestacional (IG), relação peso/idade gestacional e estado nutricional.
1) Classifiquem os recém-nascidos quanto ao peso ao nascer.
2) Classifiquem os recém-nascidos quanto á idade gestacional
3) Classifiquem os recém-nascidos quanto á relação peso/idade gestacional
4) Classifiquem os recém-nascidos quanto ao estado nutricional.

RATING: 3.02

Os recém-nascidos não constituem um grupo homogêneo; a classificação permite definir grupos de riscos de morbimortalidade peri e neonatal para ações preventivas e terapêuticas. Os critérios utilizados são: peso ao nascer (PN), idade gestacional (IG), relação peso/idade gestacional e estado nutricional.
1) Classifiquem os recém-nascidos quanto ao peso ao nascer.
2) Classifiquem os recém-nascidos quanto á idade gestacional
3) Classifiquem os recém-nascidos quanto á relação peso/idade gestacional
4) Classifiquem os recém-nascidos quanto ao estado nutricional.

Quanto ao peso ao nascer (PN)

  1. Recém-nascido de baixo peso (RNBP): PN inferior a 2.500 g, independentemente da IG, com duas categorias:
      1. RN de peso extremamente baixo ao nascer (PN < 1.000 g);
      2. outros RN de baixo peso ao nascer (PN entre 1.000 g e 2.499 g).
  2. Recém-nascido de tamanho excessivamente grande - RN de PN igual ou superior a 4.500 g.

Quanto à idade gestacional (IG)

  1. Recém-nascido pré-termo ou prematuro: é o que tem IG inferior a 37 semanas.
      1. imaturidade extrema: IG inferior a 28 semanas de gestação;
      2. outros RN pré-termo: RN de 28 a 36 semanas de gestação.
  2. Recém-nascido a termo: IG entre 37 e 41 semanas.
  3. Recém-nascido pós-termo: IG igual ou superior a 42 semanas.
  4. RN pós-termo, não grande para a idade gestacional.

Quanto à relação peso/idade gestacional:

  1. grande para a idade gestacional (GIG), se acima do percentil 90;
  2. apropriado para a idade gestacional (AIG), se entre o percentil 10 e 90;
  3. pequeno para a idade gestacional (PIG), se abaixo do percentil 10.
      1. com PN abaixo do percentil 10, porém com estatura acima do percentil 10 para a IG;
      2. peso e estatura ao nascer abaixo do percentil 10.

Quanto ao estado nutricional:

  1. eutrófico: sem sinais de má-nutrição fetal;
  2. mal nutrido fetal grau I (MNF I): pele seca, aspecto levemente apergaminhado, apresentando fissuras e leve descamação. Subcutâneo levemente diminuído nos membros;
  3. mal nutrido fetal grau II (MNF II): pele seca, apergaminhada, com descamação mais evidente do que no grau
    Subcutâneo moderadamente diminuído em membros e tronco. Pele, unhas e cordão umbilical impregnados por mecônio verde-amarelado;
  4. mal nutrido fetal grau III (MNF III): pele muito ressecada com descamação lamelar intensa. Subcutâneo muito diminuído em todo o corpo. Pele, unhas e cordão umbilical impregnados com mecônio amarelo-acastanhado.

FONTE:
Tratado de pediatria: Sociedade Brasileira de Pediatria. – 2.ed. – Barueri, SP : Manole, 2010. PREMATURIDADE E CRESCIMENTO FETAL RESTRITO pag 1447

AVALIE ESSA QUESTÃO: (3.02)

CASO CLINICO: (21452 votos)..........100% dos casos clinicos receberam votos.
O aluno A. A. V., hoje com quatros anos de idade, está matriculado no Pré I, na Escola Municipal. Nasceu de uma cesariana, com tempo normal de gravidez nove meses. Depois do nascimento a sua mãe nunca percebeu nada de diferente com o seu filho, sempre vendo-o como uma criança normal e saudável.
Depois de um ano ela percebeu que as outras crianças da mesma idade eram diferentes. Com um ano e seis meses L. F. bateu muito forte a boca na bicicleta ao andar com sua mãe, cortou a boca, e por isso a única palavra ("eu") que pronunciava não pronunciou mais.
Mãe observou, no mesmo período que a criança não respondia mais ao ser chamada pelo nome, não mostrava atenção alguma quando apontava para algo.
Começou a andar com um ano e três meses.
1) Qual é a principal suspeita diagnostica? 0,25 pontos
2) É adequado a aplicação do teste de triagem para essa suspeita? Indiquem um. 0,25 pontos


RATING: 4

1) Qual é a principal suspeita diagnostica?
Transtorno de espectro autista. (0,25 p)
DISCUSSÃO: O termo "transtorno do espectro do autismo" (TEA) descreve um grupo heterogêneo de desordens do desenvolvimento neurológico que têm etiologias diversas, mas são caracterizadas por prejuízos na interação social recíproca, comunicação social e comportamento (especificamente, padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses e atividades).
O autismo é um transtorno de desenvolvimento neurológico que representa um grande desafio hoje, tanto para o medico de família quanto para o pediatra. O núcleo desse transtorno é integrado principalmente pelas dificuldades de comunicação e interação social do paciente e pela presença de comportamentos e/ou interesses repetitivos ou restritos.

2) É adequado a aplicação do teste de triagem para essa suspeita? Indiquem um.
Sim, está na idade certa (16-30 meses). (0,125 p) O teste indicado pela Sociedade Brasileira de Pediatria é o M-CHAT R/F. (0,125 p)
DISCUSSÃO: Modified Checklist for Autism in Toddlers, Revised with Follow-Up. Validada através do estudo realizado em mais de 16.000 crianças entre 18 e 24 meses. O Questionário Modificado para Triagem do Autismo em Crianças entre 16 e 30 meses, revisado, com Entrevista de Seguimento (M-CHAT-R/F) é o instrumento recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria.
M-CHAT-R/F é um teste de triagem e não de diagnóstico, é exclusivo para sinais precoces de autismo e não para uma análise global do neurodesenvolvimento, tem dois estágios (melhora a sensibilidade e a especificidade), avaliando o risco de TEA em crianças entre 16 e 30 meses de idade.

AVALIE ESSE CASO CLINICO: (4)

Todos os direitos reservados. 2019.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.