m  i  s  o  d  o  r


        SITE PREPARATORIO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA, REVALIDA, CONCURSOS PUBLICOS E PROVAS DE TITULO

 


usuario: senha:


NÃO SOU CADASTRADO
                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO



583 USUARIOS INSCRITOS

99 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

710 RECADOS DOS VISITANTES


NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
5488 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1235 DE CLINICA, 2241 DE PEDIATRIA, 1204 DE CIRURGIA, 191 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 338 DE SAUDE PUBLICA
93 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 133 CASOS CLINICOS

 

 

 

 


LIDERES DAS PROVAS - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO COMPLETA AQUI:
Pos.    Nickname Pontuação Media Nr. provas
1.    TARGIGNIS 137.00 7.829 7
2.    ROSA MARIA 127.00 7.257 7
3.    ANGELINA 119.00 6.800 7
SURPRESAS PARA OS ASSINANTES QUE ESTÃO USANDO A PLATAFORMA DE PROVAS ONLINE!
EM BREVE, NOSSO PATROCINADOR VAI OFERECER PREMIOS SUBSTANCIAIS EM DINHEIRO PARA OS USUARIOS COM AS MELHORES PONTUAÇÕES NAS PROVAS!

CONFIRA ALGUNS EXEMPLOS, ESCOLHIDAS PELO SISTEMA ALEATÓRIO:

OBJETIVA:
Antibióticoprofilaxia em cirurgia bariátrica:
A. Uso de Cefalosporina de primeira geração pré e pós-operatória por 24 horas
B. Uso de Cefalosporina de primeira geração por uma semana após a cirurgia
C. Usar somente se for colocado dreno no abdômen, pois reside aí o perigo de entrada de bactérias no peritônio
D. Usar antibiótico somente quando houver sinais clínicos de infecção ou contaminação cirúrgica
E. Cefazolina, Metronidazol e um Aminoglicosídio no pré operatório e nos três primeiros dias de pós-operatório devido exposição do peritônio ao conteúdo intestinal.

Antibióticoprofilaxia em cirurgia bariátrica:

A. Uso de Cefalosporina de primeira geração pré e pós-operatória por 24 horas
CORRETO: A profilaxia para infecção no paciente obeso segue as mesmas recomendações adotadas para o paciente não obeso. Em abril de 1999 foi publicado um consenso em prevenção de infecção do sítio cirúrgico que recomenda a utilização de antimicrobianos de maneira profilática, quando indicado, por via intravenosa, de modo que se apresente em concentrações plasmáticas máximas no momento da incisão. Os níveis terapêuticos, devem ser mantidos no sangue e nos tecidos, durante toda a cirurgia, ou no máximo, por mais algumas horas após o fechamento da pele Antibiótico de escolha: cefalosporina de primeira geração, pré e pós-operatória, até por 24h
B. Uso de Cefalosporina de primeira geração por uma semana após a cirurgia
INCORRETO : seria um exagero utilizar cefalosporina por uma semana
C. Usar somente se for colocado dreno no abdômen, pois reside aí o perigo de entrada de bactérias no peritônio
INCORRETO : A incidência de infecção do sítio operatório no tratamento da obesidade mórbida é alta e as atuais recomendações de antibioticoprofilaxia são falhas. Neste tipo de paciente, a infecção do sítio cirúrgico tende a apresentar significativa morbidade.
D. Usar antibiótico somente quando houver sinais clínicos de infecção ou contaminação cirúrgica
INCORRETO : A incidência de infecção do sítio operatório no tratamento da obesidade mórbida é alta e as atuais recomendações de antibioticoprofilaxia são falhas. Neste tipo de paciente, a infecção do sítio cirúrgico tende a apresentar significativa morbidade.
E. Cefazolina, Metronidazol e um Aminoglicosídio no pré operatório e nos três primeiros dias de pós-operatório devido exposição do peritônio ao conteúdo intestinal.
INCORRETO : As profilaxias das gastroplastias com cefazolina apresentam taxas de infecção do sítio operatório que variam de 5,6-20%, mesmo com ajustes de doses; Vancomicina e aminoglicosídeos são antibióticos cuja farmacocinética foram extensivamente estudados na população de obesos. Embora os dados ainda não sejam definitivos, recomendações iniciais podem ser sugeridas. Doses de vancomicina devem ser calculadas de acordo com o PCT. Doses de aminoglicosídeos devem ser baseadas no volume de distribuição, utilizando um FCDP de aproximadamente 0,4.

Gabarito:  A

DISCURSIVA:
I) Quais são as principais caracteristicas da icterícia fisiológica na população de termo? 0,26 pontos
II) Defina a bilirrubinemia significante, a bilirrubinemia grave e a bilirrubinemia extrema. 0,24 pontos.

I) Quais são as principais caracteristicas da icterícia fisiológica na população de termo? 0,26 pontos
II) Defina a bilirrubinemia significante, a bilirrubinemia grave e a bilirrubinemia extrema. 0,24 pontos.

I) A hiperbilirrubinemia indireta denominada “fisiológica” caracteriza-se na população de termo por:
- início tardio (após 24 horas) (0,1 p)
- pico entre o 3º e 4º dias de vida (0,08 p)
- bilirrubinemia total (BT) máxima de 12 mg/dL (0,08 p)
II) Graus de hiperbilirrubinemia: a) hiperbilirrubinemia significante: BT > 17 mg/dL (0,08 p)
b) hiperbilirrubinemia grave: BT > 25 mg/dL (0,08 p)
c) hiperbilirrubinemia extrema: BT > 30 mg/dL (0,08 p)

FONTE:
A ICTERÍCIA GRAVE DO RECÉM NASCIDO

CASO CLINICO:
Identificação – J.J.S., masculino, 48 anos, caminhoneiro, negro, residente em Campo Grande, MS.
História da doença atual – Em 5/2/2005 procurou a UBS com quadro de febre não aferida, cefaleia, dor retro-orbitária, mialgia e artralgia há 48 horas. Foi prescrito dipirona, com melhora parcial dos sintomas.
No 5º dia de doença, procurou o pronto-socorro, por persistirem os sintomas e pelo aparecimento de pequenas manchas no corpo. Referia viagem à Rondônia em 6/12/2004. Antecedentes: Diabetes Melitus II, tratado irregularmente.
Exame Físico Geral - Regular estado geral, corado, hidratado, anictérico. Temperatura axilar de 38ºC, PA: 160x110mmHg; Frequência cardíaca: 94bpm; Peso: 105kg; Estatura: 1,70m. Pele: exantema maculopapular difuso (?). Segmento cefálico: sem alterações. Tórax: pulmões livres. Coração: bulhas rítmicas normofonéticas, sopro sistólico de ++/6 em foco mitral. Abdome: globoso, normotenso, indolor, sem visceromegalias. Neurológico: sem alterações. Prova do laço: positiva.
Exames complementares – Hemograma: Hb: 16g/dL; Ht: 48%; Plaquetas: 87.000/ mm3; Leucócitos totais: 5.200/mm3.
Questões
1. Quais são as hipóteses diagnósticas para o caso, no quinto dia de doença? 0,1 p
2. Destaque cinco elementos no quadro clínico e laboratorial que sustentam suas duas principais hipóteses diagnósticas. 0,1 p
3. Comente o atendimento clínico deste paciente, no quinto dia de doença. 0,3 p


1. Quais são as hipóteses diagnósticas para o caso, no quinto dia de doença? 0,1 p
Dengue (0,01 p), febre amarela (0,01 p), malária (0,01 p), sarampo (0,01 p), rubéola (0,01 p), leptospirose (0,01 p), febre tifóide (0,01 p), riquetisioses (0,01 p), mononucleose infecciosa (0,01 p), endocardite infecciosa (0,01 p);
2. Destaque cinco elementos no quadro clínico e laboratorial que sustentam suas duas principais hipóteses diagnósticas. 0,1 p
a) Malária: epidemiologia, febre, cefaléia, plaquetopenia. (0,05 p)
b) Dengue: epidemiologia, febre, cefaléia, artralgia, dor retroorbitária, PL+, hemoconcentração (Hematócrito esperado é até 45%), plaquetopenia. (0,05 p)
3. Comente o atendimento clínico deste paciente, no quinto dia de doença. 0,3 p
Faltou melhor avaliação epidemiológica (0,06 p).
Faltou avaliação de PA deitado e sentado. (0,06 p)
Não foi valorizado o relato do paciente de ser portador de diabetes, não sendo no momento solicitado exames complementares (glicemia e outros de interesse) (0,06 p)
Abordagem da HAS. (0,06 p)
Não foi solicitado pesquisa de plasmodium. (0,06 p)

Todos os direitos reservados. 2019.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.