USUARIO
SENHA
NÃO SOU CADASTRADO
NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO

 

OBJETIVA:
Lactente EAF masculino. 1 ano e 7 meses, admitido na internação no serviço de Santa Casa de F., devido quadro de febre de quase 4 dias, com padrão de 4/4 horas, pouca resposta ao antitérmico, aferida mesmo na ausência de febre e tosse expectorante amarelada.
Evoluindo no quarto dia de história para desconforto respiratório, procurou pronto socorro sendo observado taquipneia e tiragem intercosta! e estertores crepitantes na ausculta em base de hemitórax direito, realizado radiografia de tórax com uma imagem de consolidação em base de hemitórax direito.
Encaminhado para internação devido quadro de desconforto respiratório com de dependência de oxigênio, saturação na admissão 83%, iniciado Amoxicilina com Clavulanato 80 mg/kg/dia e solicitado hemocultura. Após 11 horas da coleta hemocultura de entrada positiva para Streptococcus pneumoniae multirresistente. optado por troca para Vancomicina 40 mg/kc/dia.
Sobre esse caso é CORRETO afirmar:
A. a escolha da vancomicina foi a melhor opção terapêutica
B. trata-se de uma situação muito pouco frequente, sendo conhecida a alta sensibilidade do pneumococo a penicilina
C. o padrão do tratamento, nesta situação, é a combinação dum aminoglicosídeo com oxacilina
D. o paciente está na faixa etária mais exposta ao risco de infecções com pneumococo resistente
E. o tratamento empirico com vancomicina tem grandes chances de ser, também, ineficaz, varios sorotipos de pneumococo apresentando resistência á esse antibioticos

RECOMENDAÇÃO PARA RESUMOS: NOVAPEDIATRIA.COM.BR
DISCURSIVA:
O transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é um dos agravos da saúde da criança e do adolescente que interferem no desenvolvimento psicomotor. O tratamento baseia-se em cinco principios bascos. Enumeram esses principios.

CASO CLINICO:
A. R. de F, 1 ano e 4 meses de idade, sexo M, com história previa de faringite há 3 semanas, fez uso de Amoxicilina Clavulanato aparentemente com remissão do quadro. Há 5 dias, iniciou com lesões papilares em nádegas bilateral, simétricas e região extensora de membros inferiores.
A mãe levou, então, a criança para o pediatra do plano de saúde e foram prescritos antihistamíníco e pomada de cortícoide. Mãe voltou, negando a melhora do quadro. Por conta própria, iniciou banho de permanganato de potássio apresentando ressecamento das lesões de nádegas.
Negava febre. Nos dias seguintes o quadro progrediu o exantema acometeu os membros superiores com lesões vesico-papulares em superfícies extensoras. Abdome plano, com fígado palpável a 2 cm do rebordo costal e raras lesões em tórax e abdome.

A criança foi investigada solicitando-se: hemograma (normal), PCR de 3, VDRL não reagente. CMV e HBs Ag negativos, porém Epstein-Barr positivo, Recebe alta hospitalar com prescrição. Retoma para reavaliação em 15 dias. com remissão de lesões papulares e resquícios com lesões pequenas descamativas e homocrômicas em pequena quantidade em pés e face extensora de membros superiores.
Relativo á esse caso:
1) Formulam o diagnostico. (0,1 pontos)
2) Enumeram pelo menos 3 agentes etiológicos que podem causar os sintomas acima.(0,25 pontos)
3) Indiquem uma esquema terapêutica.(0,15 pontos)