m  i  s  o  d  o  r


        SITE PREPARATORIO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA, REVALIDA, CONCURSOS PUBLICOS E PROVAS DE TITULO

 


usuario: senha:


NÃO SOU CADASTRADO
                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO



583 USUARIOS INSCRITOS

99 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

710 RECADOS DOS VISITANTES


NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
5488 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1235 DE CLINICA, 2241 DE PEDIATRIA, 1204 DE CIRURGIA, 191 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 338 DE SAUDE PUBLICA
93 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 133 CASOS CLINICOS

 

 

 

 


LIDERES DAS PROVAS - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO COMPLETA AQUI:
Pos.    Nickname Pontuação Media Nr. provas
1.    TARGIGNIS 137.00 7.829 7
2.    ROSA MARIA 127.00 7.257 7
3.    ANGELINA 119.00 6.800 7
SURPRESAS PARA OS ASSINANTES QUE ESTÃO USANDO A PLATAFORMA DE PROVAS ONLINE!
EM BREVE, NOSSO PATROCINADOR VAI OFERECER PREMIOS SUBSTANCIAIS EM DINHEIRO PARA OS USUARIOS COM AS MELHORES PONTUAÇÕES NAS PROVAS!

CONFIRA ALGUNS EXEMPLOS, ESCOLHIDAS PELO SISTEMA ALEATÓRIO:

OBJETIVA:
Os pacientes portadores de diabetes mellitus que evoluem com nefropatia avançada podem apresentar hipoaldosteronismo hiporreninêmico com acidose tubular renal tipo IV, cuja alteração metabólica característica é:
A. hipocalemia
B. hiponatremia
C. hipocalcemia
D. hipernatremia
E. hipercalemia

Os pacientes portadores de diabetes mellitus que evoluem com nefropatia avançada podem apresentar hipoaldosteronismo hiporreninêmico com acidose tubular renal tipo IV, cuja alteração metabólica característica é:

A. hipocalemia
INCORRETO:
B. hiponatremia
INCORRETO :
C. hipocalcemia
INCORRETO :
D. hipernatremia
INCORRETO :
E. hipercalemia
CORRETO : ATR-IV ocorre principalmente em diabéticos ou portadores de nefrite intersticial com algum grau de insuficiência renal. Dados laboratoriais mais relevantes: hipercalemia importante, acidose metabólica hiperclorêmica leve (com HCO3- variando de 15 – 20 mmol/L), anion-gap sérico normal, anion-gap urinário positivo, pH urinário adequadamente ácido em jejum ou sob estímulo.A hipercalemia se deve a diminuição dos efeitos renais da aldosterona ( ação da aldosterna sobre as células principais do ducto coletor: reabsorção de Na+ e secreção de K+);

Gabarito:  E

DISCURSIVA:
A) Descreva as etapas de assistência ao recém-nascido a termo com boa vitalidade ao nascer; - 0,3 pontos
B) Aponta a utilidade do clampeamento tardio do cordão umbilical no caso proposto pela variante A. - 0,2 pontos.

A) Descreva as etapas de assistência ao recém-nascido a termo com boa vitalidade ao nascer; - 0,3 pontos
B) Aponta a utilidade do clampeamento tardio do cordão umbilical no caso proposto pela variante A. - 0,2 pontos.

A) Descreva as etapas de assistência ao recém-nascido a termo com boa vitalidade ao nascer;
a. manter junto a mãe; (0,06 p)
b. secar e proteger com campos secos; (0,06 p)
c. posicionar o recém-nascido sobre o abdome da mãe ou ao nível da placenta por, no mínimo, um minuto, até o cordão umbilical parar de pulsar (aproximadamente 3 minutos após o nascimento), para só então realizar-se o clampeamento; (0,06 p)
d. favorecer e estimular, sempre que a mãe desejar, sucção ao seio materno; (0,06 p)
e. observar continuamente: respiração e a frequência cardíaca (para determinar a necessidade de intervenções). (0,06 p)
B) Aponta a utilidade do clampeamento tardio do cordão umbilical no caso proposto pela variante A.
O clampeamento tardio do cordão umbilical é benéfico (0,04 p) com relação aos índices hematológicos (0,04 p) na idade de 3-6 meses (0,04 p) , embora possa elevar a necessidade de fototerapia por hiperbilirrubinemia indireta (0,04 p) na primeira semana de vida. (0,04 p)

FONTE:
CADERNO DE ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA RECÉM-NASCIDO DE RISCO

CASO CLINICO:
PHRS, 3 meses e 14 dias, pardo, natural de Brasília e procedente de São Sebastião, trazido pela mãe com queixa principal Febre e tosse há 7 dias. 

Mãe refere que o lactente iniciou quadro de febre (38,7º C a 39,4º C) há 7 dias, que melhorava com paracetamol. Associava-se ao quadro tosse produtiva e dispnéia. A mãe então procurou o centro de saúde de São Sebastião, onde foi medicado com sintomáticos e nebulização, posteriormente sendo encaminhado ao PS do HRAS. No momento negava quaisquer outros sintomas. Criança nascida de parto normal, hospitalar, a termo (39 semanas), chorou ao nascer, APGAR 9/10.Peso: 3070 g;    Estatura: 49 cm   PC: 35 cm.  Alta pós-parto: 48 hs de vida, desenvolvimento neuropsicomotor adequado; aleitamento exclusivo, vacinação completa (conferido no cartão).
Reside em casa de alvenaria, 5 cômodos, 3 pessoas, água tratada, rede de esgoto e energia elétrica. Refere ter carpete em casa e cortinas de pano. Nega tabagismo em casa. Exame físico: Criança REG, hipocorado (+/4+), acianótico, anictérico, hidratado, taquipneíco, afebril.  Peso: 6,5 Kg, cumprimento 61 cm.

ACV: RCR, 2T, BNF, sem sopros  FC: 124 bpm. AR: MV com estertores crepitantes em base pulmonar direita. Ausência de tiragem e batimento de asa de nariz. FR: 60 irpm 
ABD: globoso, flácido, RHA+, indolor a palpação, sem visceromegalias.  Genitália: masculina, sem alterações 
Neurológico: reflexos adequados a idade.

Radiografia de tórax:  Presença de condensação em lobo inferior direito, sem derrame pleural.

QUESTÕES:
1) Avaliam o desempenho estaturo-ponderal desta criança, segundo o grafico abaixo. Quais são as medidas necessárias? (0,3 p)

2) Qual é a suspeita diagnóstica, justificando seu raciocinio ? Qual é o agente etiologico mais frequente nesta faixa etária? (0,1 p)
3)  Baseando-se no seu diagnóstico proponha uma esquema terapeutica para esse caso. (0,1 p)


1) Avaliam o desempenho estaturo-ponderal desta criança. Quais são as medidas necessarias?

No primeiro trimestre, a criança ganha normalmente 700 g/mês (25 a 30 gramas por dia); sendo que o peso á nascer foi 3070 g, idealmente seria que agora a criança pesaria 3090 + 750 + 750 + 750, ou seja 5340 g. (0,1 p) A criança tem 6.500 g, então até agora esta tudo bem, ganhou peso e a altura, sendo inicialmente 49 cm, e, sabendo que no primeiro semestre, crescem 15 centímetros, ou seja 2,5 cm/mes, resulta que o peso deveria ser pelo menos 56,5 e ele tem ja 61, ou seja a criança está no percentil 50 tanto por peso quanto para estatura, o que mostra um crescimento excelente. (0,1 p). Entre P 97 e P 10, Curva de crescimento ascendente. Condição de crescimento satisfatório. Parabenizar a mãe sobre o crescimento satisfatório da criança. Marcar retorno de acordo com o calendário mínimo de consultas. (0,1 p)

2) Qual é a suspeita diagnóstica, justificando seu raciocinio ? Qual é o agente etiologico mais frequente nesta faixa etária? 

A criança tem como principais e mais importantes dados diagnósticos: tosse e dispneia, associada com febre. O exame radiologico mostra condensação lobar, ou seja, praticamente, temos todos os dados clinicos para diagnosticar uma PNEUMONIA BACTERIANA. (0,05 p)

Na faixa etária de 3 semanas a 3 meses a Chlamydia trachomatis é responsável pela maioria dos casos de pneumonia afebril do lactente e a Bordetella pertussis, pela coqueluche. Contudo, no caso, a criança apresentou febre, o que levanta a suspeita de uma pneumonia bacteriana. O S. pneumoniae permanece como a causa mais comum de infecção bacteriana dos pulmões em todas as idades.  (0,05 p)

3)  Baseando-se no seu diagnóstico proponha uma esquema terapeutica para esse caso.

Penicilina Cristalina 150.000 UI/Kg/dia (0,025 p)

Dipirona IV 0,2 ml  (0,025 p)

Hidratação Venosa (manter veia)  (0,025 p)

Internação hospitalar  (0,025 p)

Todos os direitos reservados. 2019.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.