m  i  s  o  d  o  r


        SITE PREPARATORIO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA, REVALIDA, CONCURSOS PUBLICOS E PROVAS DE TITULO

usuario: senha:


NÃO SOU CADASTRADO
                                                         NÃO LEMBRO A SENHA/USUÁRIO



1052 USUARIOS INSCRITOS

211 PROVAS FEITAS POR ASSINANTES

719 RECADOS DOS VISITANTES


NOSSO BANCO DE PROVAS TEM:
6238 QUESTÕES OBJETIVAS, PRECISAMENTE:

1449 DE CLINICA, 2689 DE PEDIATRIA, 1260 DE CIRURGIA, 201 DE OBSTETRICA-GINECOLOGIA, 361 DE SAUDE PUBLICA
103 QUESTÕES DISSERTATIVAS E 138 CASOS CLINICOS

"HALL OF FAME" - CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO GERAL AQUI:

Pos.    Nickname Pontuação Media Nr. provas
1.    KATY 581.90 2.520 21
2.    MO 482.00 9.181 21
3.    TARGIGNIS 424.30 6.573 11

SITES RECOMENDADOS:

 

CONFIRA ALGUNS EXEMPLOS, ESCOLHIDOS PELO SISTEMA ALEATÓRIO:

OBJETIVA: (252227 votos)..........99.02% das questões objetivas receberam votos.
A formação de varizes de esôfago e a ocorrência de sangramento varicoso em pacientes portadores de cirrose na forma sinusoidal e pós-sinusoidal estão relacionadas, respectivamente, a valores do gradiente de pressão porta a partir de
A. 4 mmHg e 7 mmHg
B. 6 mmHg e 9 mmHg
C. 10 mmHg e 12 mmHg
D. 5 mmHg e 10 mmHg
E. 2,5 mmHg e 5 mmHg.

  RATING: 2.67

A formação de varizes de esôfago e a ocorrência de sangramento varicoso em pacientes portadores de cirrose na forma sinusoidal e pós-sinusoidal estão relacionadas, respectivamente, a valores do gradiente de pressão porta a partir de

A. 4 mmHg e 7 mmHg
INCORRETO: veja a resposta da alternativa C
B. 6 mmHg e 9 mmHg
INCORRETO : veja a resposta da alternativa C
C. 10 mmHg e 12 mmHg
CORRETO : Conforme o Sabiston, citado em MISODOR em paciente com cirrose alcoólica, e em muitas variedades de cirrose não alcoólica, a pressão portal pode ser indiretamente estimada pela medida da pressão venosa hepática encunhada (Hepatic Venous Wedge Pressure — HVWP). Como a HVWP é normal em pacientes com hipertensão porta pré-sinusoidal, a pressão porta nesses pacientes só pode ser medida diretamente por cateterização venosa transepática ou umbilical do sistema venoso porta ou por punção percutânea do baço.
A pressão porta deve ser expressa como o gradiente de pressão porta, que é a diferença entre a pressão porta e a pressão da veia cava inferior. É uma importante medida porque um gradiente excessivo de 10 mmHg é necessário à formação de varizes esofagianas e uma pressão maior que 12 mmHg é necessária para que haja sangramento das varizes.

D. 5 mmHg e 10 mmHg
INCORRETO : veja a resposta da alternativa C
E. 2,5 mmHg e 5 mmHg.
INCORRETO : veja a resposta da alternativa C

Gabarito:  C

AVALIE ESSA QUESTÃO: (2.67)
DISCURSIVA: (17740 votos) ..........100% das questões discursivas receberam votos.
Em relação ao câncer de pulmão responda as questões abaixo:

1) Descreva detalhadamente o quadro clínico (história e exame físico) - 0,125 pontos
2) Descreva os exames complementares que podem ser realizados para a obtenção do diagnóstico histopatológico - 0,125 pontos
3) Quais as classificações atualmente utilizadas (clínica e histopatologica) - 0,125 pontos
4) Descreva o estadiamento utilizado - 0,125 pontos

RATING: 3.06

Em relação ao câncer de pulmão responda as questões abaixo:

1) Descreva detalhadamente o quadro clínico (história e exame físico) - 0,125 pontos
2) Descreva os exames complementares que podem ser realizados para a obtenção do diagnóstico histopatológico - 0,125 pontos
3) Quais as classificações atualmente utilizadas (clínica e histopatologica) - 0,125 pontos
4) Descreva o estadiamento utilizado - 0,125 pontos

1) Descreva detalhadamente o quadro clínico (história e exame físico)
Pacientes com 45 anos de idade ou mais, sexo masculino, tabagista de longa data, com piora ou aparecimento de sintomas respiratórios ou torácicos (dor torácica, dispnéia, tosse seca, tosse produtiva, hemoptoicos, hemoptise, arritmias cardíacas). Aparecimento de sinais e sintomas sistêmicos: síndromes paraneoplasicas, emagrecimento, nódulos cutâneos, baqueteamento digital, infecção pulmonar única ou recorrente, nódulos ou linfonodos supraclaviculares, sinais e sintomas de metástase a distância por via hematogênica para ossos, cérebro, fígado e suprarrenais. (0,125 p)

2) Descreva os exames complementares que podem ser realizados para a obtenção do diagnóstico histopatológico
- Broncofibroscopia;
- Biópsia Tumoral Transparietal dirigida por tomografia computadorizada de tórax (pulmonar, hepática, óssea, outras);
- Biópsia de linfonodo supraclavicular ;
- Biópsia de linfonodo mediastinal por mediastinoscopia, videotoracoscopia, mediastinotomia ou toracotomia;
- Biópsia de pleura com agulha de Cope;
- Biópsia pleural por toracoscopia (cirurgia videoassistida);
- Ressecção das metástases (quando existirem e quando passiveis de ressecção);
- Biópsia de nódulo cutâneo. (0,125 p)

3) Quais as classificações atualmente utilizadas (clínica e histopatologica)
(I) Classificação clínica:
- tumores de pulmão não pequenas células
- tumores de pulmão pequenas células (oat cell carcinoma)
(II) Classificação histopatologica:
- Tumor de pulmão pequenas células
- Carcinoma de pequenas células
- Tumor de pulmão não pequenas células
- Carcinoma espinocelular
- Adenocarcinoma
- Carcinoma de grandes células
- Tumores neuroendócrinos
- Tumores mistos (0,125 p)

4) Descreva o estadiamento utilizado
Estágio I: Tumor menor que 3,0 cm, envolto por pulmão, sem metástases;
Estágio II: Tumor maior que 3,0 cm com linfonodos hilares ou mediastinais comprometidos;
Estágio III: Tumor maior que 3,0 cm com linfonodos mediastinais comprometidos (homo ou contralaterais), invasão de parede torácica ou estruturas mediastinais não vitais;
Estágio IV: Tumor de pulmão com metástase a distância. (0,125 p)

FONTE:
SABISTON - TRATADO DE CIRURGIA

AVALIE ESSA QUESTÃO: (3.06)

CASO CLINICO: (23918 votos)..........100% dos casos clinicos receberam votos.
Paciente do sexo masculino, 50 anos de idade, portador de hérnia inguinal direita, apresentando, como comorbidades, IMC 31 e hipertensão arterial leve controlada com inibidores da ECA, será submetido à cirurgia eletiva (herniorrafia), cujo ato anestésico planejado será um bloqueio peridural.
1) Esse quadro sugere risco de trombose venosa profunda (TVP)? Justifique. (0,1 pontos)
2) Como deve ser realizada a profilaxia desse paciente, se houver risco de TVP? (0,4 pontos)


RATING: 3.1

1) Esse quadro sugere risco de trombose venosa profunda (TVP)? Justifique.
Esse paciente apresenta risco intermediário para tromboembolismo venoso profundo por ter mais de 40 anos de idade e por ter de se submeter à cirurgia que pode ter duração igual ou superior a 60 minutos. (0,1 p)
2) Como deve ser realizada a profilaxia desse paciente, se houver risco de TVP?
Deverá ser submetido à quimioprofilaxia para TVP (0,05 p) com heparina de baixo peso molecular (HBPM) (0,05 p) ou heparina não fracionada (HNF) subcutânea (0,05 p), nas doses profiláticas baixas: HNF 5.000 UI a cada 12 h (0,05 p), enoxaparina 20 mg 1x ao dia (0,05 p), dalteparina 2.500 UI 1x ao dia (0,05 p) ou nadroparina (1.900 U se < 70 Kg ou 5.700 se > que 70 Kg) 1x ao dia, com duração de 7 a 10 dias (0,05 p). A primeira dose deverá ser administrada duas horas após a realização do bloqueio peridural (0,05 p).

AVALIE ESSE CASO CLINICO: (3.1)

Todos os direitos reservados. 2019.
O site misodor.com está online desde 04 de novembro de 2008
O nome, o logo e o site misodor são propriedade declarada do webmaster
Qualquer conteudo deste site pode ser integralmente ou parcialmente reproduzido, com a condição da menção da fonte.