MISODOR - SITE DE ESTUDO E TREINAMENTO PARA PROVAS DA ÁREA MÉDICA

RECOMENDAÇÃO PARA RESUMOS: NOVAPEDIATRIA.COM.BR

 

702 RECADOS
BANCO DE PROVAS EM CONTINUA EXPANSÃO, ATUALMENTE COM 4226 QUESTÕES OBJETIVAS, 47 QUESTÕES DISCURSIVAS E 55 CASOS CLINICOS, TODAS COM GABARITO COMENTADO
EXPERIMENTE AQUI! SEQUÊNCIA RÁPIDA DE INTUBAÇÃO NA CRIANÇA!

HIGIENE DA ALIMENTAÇÃO

A suplementação de ferro num lactente deve estar indicada na seguinte situação:

A. criança com 4 meses de vida em aleitamento exclusivo
B. prematuro de 36 semanas de idade gestacional amamentado ao seio
C. criança com 5 meses de vida em aleitamento misto e recebendo dieta de sal
D. lactente filho de mãe com anemia falciforme independente do leite oferecido
E. bebê com refluxo gastroesofágico e baixo ganho ponderal, recebendo leite materno exclusivo

A. criança com 4 meses de vida em aleitamento exclusivo
INCORRETO: Os lactentes amamentados exclusivamente ao seio não necessitam complementação com ferro porque o leite materno contém de 10 a 160 microgramas do elemento por 100mLmicrogramas/100mL). O ferro do leite humano é absorvido em torno de 50%, o do leite de vaca cerca de 10% e os das fórmulas enriquecidas em torno de 4%. Isto faz com que o lactente que esteja em alimentação artificial ou mista deva receber ferro adicional.
B. prematuro de 36 semanas de idade gestacional amamentado ao seio
INCORRETO : veja a resposta da alternativa A
C. criança com 5 meses de vida em aleitamento misto e recebendo dieta de sal
CORRETO : O ferro do leite humano é absorvido em torno de 50%, o do leite de vaca cerca de 10% e os das fórmulas enriquecidas em torno de 4%. Isto faz com que o lactente que esteja em alimentação artificial ou mista deva receber ferro adicional.
D. lactente filho de mãe com anemia falciforme independente do leite oferecido
INCORRETO : O filho de mãe com anemia falciforme não têm porque receber complementação; o lactente com refluxo idem.
E. bebê com refluxo gastroesofágico e baixo ganho ponderal, recebendo leite materno exclusivo
INCORRETO : veja a resposta da alternativa D

Gabarito: C

DIARRÉIA E DESIDRATAÇÃO

O diagnóstico diferencial da diarreia que persiste por mais de 2 semanas (diarreia crônica) varia de acordo com a idade do paciente. Apontem as causas mais frequentes para cada faixa etária (lactente, criança pequena, escolar e adolescente). (0,5 pontos)

A diarréia crônica em lactentes pode ser:
- pós-infecciosa (0,03125 p)
- resultado de intolerância a proteínas ou desnutrição(0,03125 p)
- subseqüente a distúrbios metabólicos como fibrose cística ou defeitos enzimáticos ou de transporte (0,03125 p)
- secundária a anomalias anatômicas como síndrome do intestino curto ou atrofia congênita das microvilosidades (0,03125 p)

Em crianças maiores:
- a intolerância a proteínas (0,03125 p)
- diarreia pós-infecciosa (0,03125 p)
- giardíase (0,03125 p)
- espru celíaco (0,03125 p)
- deficiência de sucrase-isomaltase (0,03125 p)
- enterocolite de Hirschsprung (0,03125 p)
Em crianças de idade escolar e em adolescentes, deve-se considerar:
- giardíase (0,03125 p)
- doença celíaca (0,03125 p)
- intolerância à lactose (0,03125 p)
- cólon irritável (0,03125 p)
- doença intestinal inflamatória. (0,03125 p)
Adolescentes com diarréia crônica devem ser questionados sobre:
- uso/abuso de laxantes (possível anorexia/bulimia).(0,03125 p)

Seven M Selbst, Kate Cronan - Segredos em emergência pediatrica


Após a realização de maratona, um atleta dá entrada no hospital e o exame de gasometria laboratorial realizado imediatamente, antes do efeito da medicação aplicada é o seguinte: pH: 7,14
[HCO3]real: 10 mEql/l
pCO2: 30 mmHg
[HCO3]standard: 12 mEql/l
BE.: ‐8

Baseado neste resultado, você acha que a administração de bicarbonato endovenoso fará algum efeito para reverter esse quadro? Discuta os resultados apresentados e sugira as razões para este quadro.

ETAPA 1: É acidose ou alcalose? Vamos olhar o pH, que é 7,14, ou seja temos uma acidose.
ETAPA 2: É uma acidose RESPIRATÓRIA ou METABÓLICA?. Qual parâmetro é o mais modificado? O CO2 é baixo, então provavelmente que predomina uma ACIDOSE METABOLICA.
ETAPA 3: Essa acidose é uma acidose metabólica pura? Para isso vamos ter que calcular o ANION GAP. Para o calculo deste parâmetro ou vamos utilizar a formula que leva em consideração Na+, Cl- e HCO3- (dados que não foram fornecidos pelo enuncio) ou podemos utilizar o bicarbonato standard e real, sendo que: HCO3 corrigido (10 mEq/l) = HCO3 (12 mEq/l) - (AG-12)  
Ou seja, o AG=14, e, sendo maior que 12. Convencionalmente ele estará aumentado se for maior de 12 mEq e baixo se for menos que 12 mEq.

As acidoses com AG aumentado, então, são caracterizadas pelo cúmulo de outros ácidos que HCl ou H2CO3, refletindo, então, a retenção de fosfatos, ácidos orgânicos, ou tóxicos endógenos. Nestes casos a cloremia vai ser normal. É explicável, já que, consecutivamente ao esforço físico, aparece a acidose láctica (anaerobiose - desvio do ciclo Krebs - glicólise anaeróbica).

Ou seja, existem outros ácidos (neste caso, o acido láctico) que abaixa o pH. A administração de bicarbonato é necessária para tamponar a acidemia láctica.